Marco Almeida apresenta candidatura à Câmara de Sintra perante mais de mil apoiantes (com galeria de fotos)

Marco Almeida apresenta candidatura à Câmara de Sintra perante mais de mil apoiantes (com galeria de fotos)

O vice-presidente do município de Sintra e candidato independente à presidência da câmara local, Marco Almeida, assumiu ontem não se rever no actual PSD por considerar que o partido virou costas às pessoas.

O actual vice-presidente do executivo camarário, liderado pelo social-democrata Fernando Seara, apresentou a sua candidatura independente à câmara de Sintra, no Cacém, numa sessão em que estiveram presentes cerca de 1200 pessoas.
Durante a cerimónia, Marco Almeida - que não conta com o apoio institucional dos sociais-democratas - assumiu ser do "velho PSD", assumindo uma "distância ideológica" em relação à direção nacional do partido.
"Este é um PSD que virou costas às pessoas. Vivemos uma crise financeira, social e económica. Todos nós temos conhecidos que estão no desemprego, e o Governo tem de estar atento a essa realidade, porque nem tudo pode ser feito tendo por princípio os números da execução orçamental", disse Marco Almeida aos jornalistas, na apresentação da candidatura.
A distrital de Lisboa do PSD decidiu, na quarta-feira, apoiar a candidatura do deputado Pedro Pinto, preterindo a candidatura do actual vice-presidente da câmara, Marco Almeida. Questionado pelos jornalistas sobre a falta de apoio do partido do qual é militante desde 1992, Marco Almeida adiantou que essa é uma questão que já não o preocupa.
"A candidatura de Pedro Pinto é uma decisão da distrital. É uma decisão que está tomada e que vai ter que ser ainda ratificada pela direcção nacional do partido. É uma decisão da distrital, mas eu já tinha tomado a minha há muito", sustentou.
O candidato às autárquicas de 2013 adiantou que os pontos basilares da sua candidatura assentam em manter o trabalho feito pelo município na área social, e em fazer do ordenamento do território "uma catapulta para o desenvolvimento económico e para a atracção de mais e melhores empresas" para o concelho.
Marco Almeida avançou ainda que, caso seja eleito presidente, os serviços de água do município manter-se-ão na gestão e na esfera do município, e criticou a reforma administrativa por considerar que "não constitui uma oportunidade para o concelho de Sintra" e por poder ser "um verdadeiro desastre".
Para o candidato independente, Fernando Seara "está confrontado com um problema", em relação à divisão das estruturas concelhia que, numa primeira fase, apoiou a sua candidatura, e a distrital, que apoia outro candidato.
"Estive hoje com Fernando Seara e, quando me despedi dele, deu-me um forte abraço e desejou-me uma excelente sorte para o dia de hoje. Acho que, acima de tudo, e para lá das opções politicas, conta a amizade. E eu tenho estima pelo professor Fernando Seara e sei que ele tem estima por mim", disse.
Marco Almeida reiterou que a sua candidatura é "suprapartidária" e que não se vai "subjugar a nenhum interesse partidário".
A cerimónia de apresentação da candidatura contou com as presenças dos vereadores Luís Duque (CDS), Paula Simões e Ana Duarte (PSD) e de vários presidentes de juntas de freguesia, dois do PS e oito do PSD.

Marco Almeida apresenta candidatura