Marchas e casamentos na véspera de Santo António

Marchas e casamentos na véspera de Santo António

A Avenida da Liberdade, a Sé e os bairros típicos são hoje os principais palcos das Festas de Lisboa, que vivem o seu dia mais importante com os Casamentos de Santo António e o desfile das marchas populares.

Na véspera do feriado municipal, a câmara organiza pela 16.ª vez os casamentos de 16 pares de noivos, elevando assim para 256 o número de casais que protagonizaram a iniciativa da autarquia.

A tradição foi iniciada em 1958, pelo jornal Diário Popular, mas foi interrompida em 1974, para ser retomada pelo município em 1997. Segundo a organização, anualmente são recebidas entre 40 a 50 candidaturas.

À noite, quando as ruas dos bairros tradicionais estiverem repletas, com música popular e cheiro de sardinha em cada esquina, arranca, às 21:00, o desfile das marchas, que este ano celebram 80 anos. Este é, aliás, um dos temas do certame nesta edição, a par da elevação do fado a património da Humanidade e do Ano de Portugal no Brasil/Ano do Brasil em Portugal.

As apresentações, organizadas pela empresa municipal de gestão de equipamentos e animação culturais, a Egeac, incluem a marcha infantil Voz do Operário e a marcha dos Mercados (ambos extra-competição) e, como convidados, quatro agrupamentos de Macau, Emirados Árabes Unidos, Portugal e Brasil.

As vinte marchas em concurso são São Vicente, Belém, Alcântara, Beato, Alfama, Bica, Santa Engrácia, Carnide, Graça, Olivais, Mouraria, Marvila, Madragoa, Baixa, Penha de França, Ajuda, Campolide, Bairro Alto, Castelo e Alto do Pina, o vencedor do ano passado.

Devido às festas, as principais artérias do centro da cidade estão interditas ao trânsito – na Avenida da Liberdade, por exemplo, a faixa central vai estar cortada a partir das 15:00 e até às 10:00 de quarta-feira, enquanto as laterais ficarão vedadas a partir das 20:00.