Mais um prémio para o restauro do Salão Nobre do Palácio da Pena

Mais um prémio para o restauro do Salão Nobre do Palácio da Pena
Dois projetos de Lisboa e dois da região do Porto venceram a edição 2015 do Prémio Nacional de Reabilitação Urbana, divulgou hoje a organização numa cerimónia que decorreu no Palácio Nacional de Queluz.
 
O projeto Palácio Condes de Murça, em Lisboa, foi distinguido como a melhor intervenção residencial, enquanto o Lugar do Fado, na Casa da Severa, um equipamento cultural e de lazer situado na Mouraria, acumulou os galardões pela melhor intervenção com impacto social e a melhor intervenção da cidade de Lisboa.
 
Como melhor reabilitação turística foi escolhido o Hotel Vincci Porto e a melhor intervenção de serviços e comércio de 2015 foi para as Antigas Oficinas de Porto de Leixões (Matosinhos/Porto).
 
A organização destacou ainda, com menções honrosas, a 1872 River House (Porto), que considerou a melhor intervenção com menos de mil metros quadrados, enquanto o Salão Nobre do Palácio da Pena (Sintra/Lisboa) foi a melhor intervenção de restauro e o edifício São Tomé – Castelo (Lisboa) foi escolhido como melhor solução de eficiência energética.
Como Lisboa foi a cidade anfitriã do prémio, a organização atribuiu uma distinção para o melhor projeto de reabilitação urbana na capital.
 
Responsável pela coordenação da iniciativa, António Gil Machado notou que a concentração de prémios em projetos de Lisboa e do Grande Porto “espelha a realidade” da reabilitação no país, já que estas duas regiões “lideram este movimento e apresentam um maior caminho percorrido em termos de obra feita”.
 
No entanto, para o responsável, as mais de cinco dezenas de candidaturas, originárias de 17 localidades, também mostram que a reabilitação “se alastra a cada vez mais pontos do país”.
 
Os vencedores da edição de 2015 foram eleitos por cinco jurados: o economista Augusto Mateus, os arquitetos João Pedro Falcão de Campos e João Carlos Santos, este último subdiretor geral da Direção Geral do Património Cultural, os engenheiros Vasco Peixoto de Freitas e Manuel Reis Campos, líder da Confederação Portuguesa da Construção e Imobiliário e Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas.
 
O Prémio Nacional de Reabilitação Urbana é organizado pela revista Vida Imobiliária e pela imobiliária Promevi, com o apoio do Governo e da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.