Luta contra contentores na Trafaria chega à presidente da Assembleia da República

Luta contra contentores na Trafaria chega à presidente da Assembleia da República
Os autarcas do concelho de Almada não estão dispostos a dar tréguas ao projecto do Governo que pretende construir um terminal de contentores na Trafaria. E ontem, dia 22 de Março, solicitaram à Presidente da Assembleia da República, Assunção Esteves, que agende uma audiência para lhe entregarem em mãos o resultado da petição pública contra este projecto.

Com esta, a delegação de autarcas composta pelo presidente da Assembleia Municipal de Almada, pela presidente da Câmara e pela presidente da Junta de Freguesia da Trafaria, afirma a “profunda convicção” de que a construção de um mega terminal de contentores naquela localidade “corresponderá a um crime ambiental de lesa pátria”, por isso exigem que o Governo “abandone de imediato” essa intenção.

Os autarcas e população foram apanhados de surpresa no passado dia 22 de Fevereiro com o anúncio feito pelo ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, de transferir toda a linha de contentores existente no lado de Lisboa para a zona da Trafaria. Um projecto que irá ocupar entre 200 a 300 hectares de margem e plano de água no estuário do Tejo.

Além do terminal para cerca de 2 milhões de TEU (unidade de medida padrão equivalente a um contentor de seis metros) a construir entre os silos da Silopor e a Cova do Vapor, está ainda prevista uma ferrovia que, segundo os autarcas, “irá atravessar a Trafaria” avançando “por vales de grande sensibilidade natural inseridos em Reserva Ecológica Nacional”.

Perante isto, logo no dia seguinte, em reunião pública na freguesia, autarcas de todas as forças políticas representadas no município e população aprovaram lançar uma petição contra este projecto.

O documento vinca que os diferentes instrumentos de gestão do território em vigor, Plano Director Municipal e Plano Regional de Ordenamento do Território da Área Metropolitana de Lisboa, “não contemplam este projecto apresentado pelo Governo”.

Sublinha ainda que “a estratégia de desenvolvimento definida para o concelho passa pela aposta no turismo, em especial no eixo Trafaria / Costa da Caparica, pela Investigação e Desenvolvimento e indústrias de base tecnológica no eixo Trafaria / Almada Nascente.

Dá também destaque à necessidade de desenvolver o sector das pescas, as indústrias criativas e as micro e pequenas empresas potenciadoras de emprego”.

É com base nestes argumentos que a petição exige que o executivo de Passos Coelho “abandone de imediato a intenção de construção de um terminal de contentores na vila da Trafaria”. Ao mesmo tempo considera que para relançar o emprego no concelho, o poder central tem de dar andamento aos dois projectos estratégicos para o concelho de Almada – um na Costa da Caparica e o outro no Arco Ribeirinho Sul.