Lufinha, agora acompanhado, quer recorde na travessia Açores-continente em kitesurf

Lufinha, agora acompanhado, quer recorde na travessia Açores-continente em kitesurf
O português Francisco Lufinha mostrou-se hoje esperançoso em alcançar um novo recorde na travessia Açores-continente em kitesurf ao lado da recordista alemã Anke Brandt, acreditando que também conseguirá internacionalizar Portugal.
 
"Vamos lutar por um novo recorde a dois com a Anke, que é recordista mundial. Será a maior travessia até agora do meu projeto de ligar o território português. Desde São Miguel, nos Açores, até ao

 continente. Não sabemos o local de chegada, porque depende das condições meteorológicas, mas vamos ao sabor do vento", começou por dizer o velejador luso na apresentação da travessia, que terá inicio no final de agosto.
 
Em 2015, Francisco Lufinha fixou um novo recorde do mundo entre Lisboa e a ilha da Madeira, quando percorreu 874 quilómetros em 48 horas. Nesta etapa, o tempo estimado será no mínimo de cinco dias e um máximo de 10, sendo que as milhas serão repartidas entre os dois velejadores.
 
Para o português, a travessia tem alguns objetivos, como "internacionalizar" o país e poder observar a "vida marinha" que o arquipélago Açores possui.
 
"Espero ver e ter as baleias a acompanhar-me, encontrar muita vida marinha e chegar ao fim inteiro e sem mazelas. Quero conseguir partilhar este nosso mar e todo este meu sonho que é ligar Portugal. Conseguir mostrar ainda aos portugueses e internacionalizar lá fora. Somos um país pequenino, mas em território marítimo estamos no top-10 do mundo", confessou.
 
Contudo, Lufinha apontou duas situações que deseja não ver acontecer quando estiver em pleno oceano atlântico.
 
"Imprevistos como um de nós magoar-se e aí está o caldo entornado. Temos um médico e um fisioterapeuta a bordo, mas se não resolverem teremos um problema grave, porque nós estamos os dois com o ‘mind set’ de chegar ao fim. As condições do vento também. Se não tivermos vento teremos que ficar dentro de água a boiar e esperar que venha o vento", concluiu.
 
Lufinha e Anke irão dividir o desafio de kitesurf sem paragens em turnos de oito horas ao longo de 1.500 quilómetros.