Loures: Socialista Carlos Teixeira retira pelouros a vereadora do mesmo partido

Loures: Socialista Carlos Teixeira retira pelouros a vereadora do mesmo partido

O presidente socialista da Câmara de Loures, Carlos Teixeira, retirou os pelouros à vereadora do mesmo partido Emília de Figueiredo, depois de esta ter votado contra uma proposta apresentada pelo PS em reunião do executivo.
A informação foi transmitida à Lusa pela vereadora socialista Emília de Figueiredo, que detinha os pelouros do Turismo e da promoção do emprego na Câmara de Loures.
A decisão do presidente Carlos Teixeira (PS) foi tomada na quarta-feira na sequência de uma reunião do executivo municipal em que a vereadora Emília de Figueiredo votou, juntamente com os partidos da oposição, contra uma proposta do PS para a isenção parcial das taxas de publicidade à empresa CEMUSA.
Em declarações à Lusa, a vereadora, agora sem pelouros, explicou que a empresa em causa tem uma dívida ao município de cerca de 500 mil euros e que por isso quis votar “em consciência”.
“É uma proposta que já foi formulada desde o início do ano. A primeira vez que veio a discussão mereceu muitas dúvidas da oposição. Agora esta segunda vez considerei que não estava corretamente instruída. Por isso mesmo sendo do meu partido votei em consciência e com intenção de salvaguardar os interesses do município”, justificou.
Emília de Figueiredo referiu que existe desde o ano passado um processo em tribunal entre a empresa e o município devido às taxas de publicidade.
“Devíamos ter aguardado que o tribunal se pronunciasse antes de elaborarmos qualquer proposta”, atestou.
Relativamente à decisão de Carlos Teixeira lhe retirar os pelouros, Emília de Figueiredo considerou tratar-se de uma atitude “bastante excessiva”.
“Não esperava esta decisão. Fiquei surpreendida porque tenho provas dadas e votei em consciência. Tenho essa legitimidade. De qualquer forma sinto que honrei o meu partido e o povo de Loures ao tomar esta opção”, apontou.  
Emília de Figueiredo referiu ainda que vai comunicar a situação que motivou a perda de pelouros ao secretário-geral do PS, António José Seguro, e ressalvou que pretende cumprir o mandato de vereadora até ao fim.
“Há muito mais a fazer. Se desistisse agora estaria a defraudar as expectativas de quem me elegeu”, sustentou.
A Lusa contactou o presidente da Câmara de Loures, mas este recusou-se a fazer qualquer comentário.