Livro regista políticas da Educação na Amadora nos últimos 16 anos

Livro regista políticas da Educação na Amadora nos últimos 16 anos
A Câmara Municipal da Amadora apresentou hoje o livro "AmadoraEduca: Oportunidade para Construir uma Cidade", que resulta da análise de um professor da Universidade Nova de Lisboa sobre as políticas de Educação nos últimos 16 anos de liderança socialista.
 
Da autoria de José António Tenedório, professor da Universidade Nova de Lisboa, o livro hoje apresentado é referido pelo próprio como um "registo de 16 anos de mandato do PS na Câmara de Amadora que colocou sempre a Educação como opção estratégica do município".
 
"É um livro que pretende de servir de inspiração académica, que fala da Educação como opção estratégica da autarquia e que fala das pessoas e das cidades", afirmou.
 
O livro fala, ainda, da "descentralização (…) das políticas educativas", uma situação que o presidente do Conselho Nacional da Educação, David Justino, autor do prefácio, referiu como "inevitável".
 
"Não vou entrar na polémica da descentralização, mas quero só dizer que, mais tarde ou mais cedo, mais à direita ou mais à esquerda, os processos de descentralização vão acontecer inevitavelmente, porque é o próprio Estado Central que não tem eficácia para chegar aos pequenos problemas e, por outro lado, temos os municípios cada vez mais disponíveis para atender às necessidades das comunidades locais", disse.
 
David Justino considerou que o livro retrata "muito bem" o paradigma de "escola que era repartição pública do Ministério da Educação" e da "escola que é das pessoas, que atende mais as comunidades".
 
"A escola já não é a expressão da vontade do ministro ou das políticas nacionais, mas tende a expressar aquilo que é a vontade da comunidade local. O tipo de Estado que nós temos tornou-se pequeno para os grandes problemas e, por outro lado, o Estado tornou-se muito grande, muito complexo e muito trôpego para resolver o problema do cidadão", sustentou.
 
A presidente da Câmara de Amadora, Carla Tavares, frisou que este livro "não é um documento político", mas antes um "estudo e uma realidade do que se faz na Amadora: a Educação como motor para construir a cidade".
 
"Com tudo o que se foi construindo, abrindo a escola à cidade, conseguiu-se que as duas estejam interligadas, mas os desafios continuam: a redução das retenções, os 12 anos de escolaridade e a rede de ofertas formativas", acrescentou.
 
A apresentação do livro "AmadoraEduca: Oportunidade para Construir uma Cidade" ocorreu esta tarde na Escola Secundária Dr. Azevedo Neves, na Damaia.
 
Durante a manhã foi inaugurado o Centro para a Qualificação e o Ensino Profissional (CQEP) da Amadora, cujo objetivo é identificar as necessidades de formação e/ou qualificação e posterior encaminhamento para as respostas mais adequadas aos perfis identificados.
 
O novo espaço resulta de uma parceria entre a autarquia e as Escolas Secundárias Dr. Azevedo Neves e Seomara da Costa Primo, a Escola Intercultural das Profissões e do Desporto e a Escola Profissional Gustave Eiffel.