Lisbon & Estoril Film Festival com adesão superior à de anos anteriores

Lisbon & Estoril Film Festival com adesão superior à de anos anteriores
O diretor do Lisbon & Estoril Film Festival (LEFFEST), Paulo Branco, disse, na cerimónia de encerramento do evento, que a participação do público este ano foi "bastante superior" à dos anos anteriores.
   
"Foi uma grande surpresa, sobretudo porque havia filmes difíceis e que, à partida, parecia ser arriscado passá-los", afirmou Paulo Branco, na gala de entrega de prémios, no Centro Cultural de Belém.
 
O polaco Jan P. Matuszynski, que foi hoje distinguido com o Prémio de Melhor Filme e Melhor Realizador, mostrou-se feliz com a "maravilhosa notícia".
 
Ausente da cerimónia de entrega de prémios, o realizador de 32 anos venceu pela sua longa-metragem 'The Last Familly', baseado na história de um pintor surrealista polaco, Zdzislaw Beksinski, e da sua família, cuja vida está longe de ser normal.
 
O Prémio Especial do Júri João Bénard da Costa, que evoca o antigo diretor da Cinemateca Portuguesa, foi atribuído ao filme israelita 'Sand Storm', de Elite Zexer. Em nome do realizador, e numa mensagem de vídeo, a protagonista do filme, Lamis Ammar, dedicou o prémio às mulheres retratadas na obra, que vivem em condições de vida muito difíceis e que ainda assim são mulheres muito fortes.
 
O Prémio NOS Melhor Filme - Escolha do Público coube ao filme 'Elle', de Paul Verhoeven, que foi apresentado no festival e vai estrear em Portugal na próxima quinta-feira.
 
O júri desta edição do Lisbon & Estoril Film Festival foi composto pelo realizador polaco Jerzy Skolimowski, a atriz suíça Marthe Keller, a atriz italiana Valentina Lodovini e o artista urbano sueco de origem portuguesa André Saraiva.
 
A atriz Nicoletta Braschi, protagonista do conhecido filme italiano 'A vida é bela', foi também homenageada na cerimónia, depois de ter estado em Portugal com a peça 'Dias Felizes', no Teatro Nacional D.Maria II.
 
"É uma grande surpresa [esta homenagem]. Este convite é muito especial. Foi uma sala de teatros muito bonita. As pessoas abordavam-se com grande generosidade e liberdade. Foram dias muito felizes", afirmou.
 
O realizador Emir Kusturica também disse hoje estar "muito feliz" com os últimos dias passados em Portugal.
 
"Fico feliz que haja pessoas como Paulo Branco no mundo, porque há cada vez menos espaço para as pessoas no cinema. Estou muito feliz por estar aqui, nesta cidade, onde venho sempre com grande expectativa e fico sempre entusiasmado", sustentou
 
A vereadora da Cultura da Câmara de Lisboa, Catarina Vaz Pinto, elogiou o festival, considerando-o "especial e uma marca cultural muito forte na cidade".
 
"Pela forma como liga o cinema a outras artes e pela forma como as pessoas, artistas e público, se cruzam nestes dias. É um festival muito acolhedor que nasce de cumplicidades antigas em que se partilha o gosto pelo cinema. Não sabemos como vai ser o cinema no futuro, mas há sempre histórias para contar e filmes para fazer", acrescentou.
 
O festival atribuiu ainda o Prémio para a Melhor Curta-Metragem, que distingue o trabalho dos alunos das Escolas de Cinema Internacionais, a 'The Sleeping Giant', de Laura Samani, do Centro Sperimentale de Cinematografia, em Itália.
 
Nesta categoria foi ainda atribuída uma menção honrosa a 'Paul est lá', de Valentina Maurel, do Institut Superieur des Arts (INSAS), da Bélgica.
 
As curtas-metragens foram atribuídas por um júri composto por Daniel Rosenfeld, Lola Peploe e Stanislas Merhar.
 
Após entrega de prémios foi exibido, em antestreia, o filme 'Nocturnal Animals', de Tom Ford.
 
Os realizadores Jim Jarmusch e Emir Kusturica e o poeta Adonis estiveram entre os mais de 60 convidados da 10.ª edição do LEFFEST, que começou a 04 de novembro.
 
Além das retrospetivas e homenagens a Jean-Luc Godard e Jerzy Skolimowski, o LEFFEST apresentou também retrospetivas de Emir Kusturika, Teresa Villaverde, Pascal Bonitzer, Agustin Díaz Yanes e Daniel Rosenfeld.
 
O realizador franco-suíço Jean-Luc Godard, considerado o mestre da Nouvelle Vague, foi homenageado com uma retrospetiva completa da sua obra - cerca de uma centena de filmes - e com um simpósio internacional.
 
Em paralelo à exibição cinematográfica - filmes em antestreia ou competição, retrospetivas e homenagens - o LEFFEST apresentou, como nas edições anteriores, iniciativas como exposições, conferências, leituras, apresentações de livros e concertos.
 
Em competição, na 10.ª edição do LEFFEST, estiveram também os filmes 'American Honey', de Andrea Arnold, 'Bangkok Nite', de Katsuya Tomita, "Christine", de Antonio Campos, 'Dogs', de Bogdan Mirica, 'El Futuro Perfecto', de Nele Wohlatz, 'Harmonium', de Kôji Fukada, 'Big Big World', de Reha Erdem, 'Little Men', de Ira Sachs, 'Nocturama', de Bertrand Bonello, e 'The Last of Us', de Ala Eddine Slim.
 
Foram 11 os espaços do certame: Cinema Medeia Monumental, Espaço Nimas, Casino Estoril, Centro Cultural de Belém, Centro Cultural de Cascais, Teatro Nacional D. Maria II, Teatro da Trindade, Casa das Histórias Paula Rego, Cinemateca, Cinema NOS Cascais Shopping e P31 - Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa.