Lisboa vai acolher mil estudantes mundiais para em 3 semanas transformarem ideias em negócios

Lisboa vai acolher mil estudantes mundiais para em 3 semanas transformarem ideias em negócios
Lisboa vai acolher a partir do próximo ano e durante cinco anos mil estudantes universitários de mais de 100 universidades do mundo para desenvolverem uma ideia, transformá-la em negócio e atingir 1.000 clientes em apenas três semanas.
 
Esta iniciativa foi hoje apresentada pelo cofundador da aceleradora portuguesa de negócios Beta-i, Ricardo Marvão, no Lisbon Investment Summit, um evento organizado pela aceleradora que arrancou hoje em Lisboa, juntando as melhores ‘startups' de base tecnológica, de países como Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha ou Portugal.
 
Ricardo Marvão disse à Lusa que o novo programa na área de educação para estudantes universitários arranca em agosto de 2017, e decorrerá no verão dos próximos cinco anos, no âmbito do projeto europeu European Innovation Academy, e tendo como grandes organizadores a Câmara de Cascais, a Beta-i e a Universidade Nova de Lisboa.
 
O cofundador da Beta-i explicou que se trata de um "programa de aceleração com estudantes universitários, mas em doses massivas": "São 1.000 estudantes, todos a acelerar em três semanas. Depois de terem uma ideia no primeiro dia, juntam uma equipa com cinco estudantes universitários e em três semanas têm que ir da ideia até 1.000 clientes".
 
"Todos os anos, durante o verão e nas férias dos estudantes universitários, vamos ter aqui 1.000 estudantes de 100 universidades, desde Estados Unidos, Europa, Ásia, que vêm para Lisboa fazer essa ação, com a nata da nata", disse Ricardo Marvão.
 
Os organizadores do evento foram buscar "os grandes nomes", como salienta Ricardo Marvão, para virem a Portugal ensinar esse empreendedorismo, destacando as universidades de Stanford ou Berkeley e empresas como a Google e a Microsoft.
 
Sobre o projeto, o cofundador reforçou ainda que um dos objetivos "é imprimir um sentido tido de urgência" e especificou que depois de terem uma ideia, "no dia 10 têm que lançar o produto no mercado e começar a vender" e que "passados cinco dias já têm que ter 10 a 15 clientes, para no final das três semanas terem 1.000 clientes".
 
No Lisbon Investment Summit que decorrerá ao longo de dois dias na Academia de Ciências, a responsável pelos projetos europeus da Beta-i, Edite Cruz, apresentou o Portuguese Startup Manifesto, documento que estabelece 15 desafios prioritários para o ecossistema português e 43 medidas para resolver os desafios.
 
O documento será apresentado em Berlim a 10 de junho e surge depois da Comissão Europeia ter criado um Manifesto geral em 2012 para desenvolver esta área e de alguns outros Estados-Membros já terem apresentado documentos com objetivos semelhantes.