Lisboa quer alargar videovigilância na Baixa

Lisboa quer alargar videovigilância na Baixa

A Câmara de Lisboa quer alargar a videovigilância na Baixa da cidade, do Cais do Sodré à Alameda Dom Afonso Henriques, e aumentar o número de câmaras para 70, no seguimento de um estudo da PSP.

Depois de ter sido questionado pelo vereador do CDS-PP, António Carlos Monteiro, quanto ao ponto de situação da instalação de videovigilância no Bairro Alto, na Baixa e no Intendente, o vereador da Protecção Civil, Manuel Brito, atribuiu as culpas do atraso às "dificuldades nos concursos" e referiu um estudo da PSP para alagar a videovigilância.

Quanto à videovigilância no Bairro Alto, Manuel Brito disse que estão a ser analisados juridicamente dois recursos quanto ao vencedor do concurso público para a instalação das câmaras.

"Está tudo a ser muito contestado, como nunca nenhum concurso foi", afirmou.

Perante a instalação do sistema na Baixa, o vereador disse à agência Lusa que, no seguimento de um estudo do Comando Metropolitano de Lisboa (COMETLIS) da PSP, vão ser colocadas 70 câmaras, em vez das 50 inicialmente previstas, do Cais do Sodré à Alameda Dom Afonso Henriques.

O vereador admitiu à Lusa em Novembro a conclusão da instalação das câmaras no Bairro Alto no fim de Abril.