Lisboa, Loures e Vila Franca de Xira juntas em projeto para requalificar frente ribeirinha

Lisboa, Loures e Vila Franca de Xira juntas em projeto para requalificar frente ribeirinha
O município de Lisboa está em conversações com Loures e Vila Franca de Xira para a reabilitação conjunta das áreas ribeirinhas dos três concelhos, com recurso a uma candidatura intermunicipal a fundos comunitários.
 
“Estamos a conversar com Loures e Vila Franca para conectar a nossa zona ribeirinha até à zona ribeirinha deles”, disse à agência Lusa o vereador do Urbanismo da Câmara de Lisboa, Manuel Salgado (PS).
 
Salientando que o processo “está numa fase muito inicial”, o autarca lembrou que, da parte de Lisboa, “o Parque das Nações está todo requalificado até à Foz do Trancão”.
 
“Para norte do Trancão, que é já concelho de Loures e depois concelho de Vila Franca é que se havia que intervir”, acrescentou.
 
Em Lisboa, a frente ribeirinha tem cerca de 18 quilómetros, num circuito que vai desde Belém ao Parque das Nações e a autarquia da capital junta-se assim aos municípios de Loures e Vila Franca de Xira, que mantinham já há alguns meses conversações no sentido de apresentarem uma candidatura conjunta a fundos comunitários.
 
Em declarações à agência Lusa, o vereador da Câmara de Loures com o pelouro do Desenvolvimento Económico, António Pombinho (CDU), explicou que no novo quadro comunitário de apoio [Portugal 20/20] uma candidatura intermunicipal terá mais possibilidade de ser aceite.
“É nosso objetivo apresentar um projeto que seja candidatável e pensamos que desta forma teremos mais hipóteses", sublinhou o autarca.
 
António Pombinho explicou que o objetivo dos três municípios é “criar ainda mais espaços de fruição” junto ao Tejo, tirando, desta forma “o maior partido das potencialidades da zona ribeirinha”.
 
“Queremos que nessa frente ribeirinha, que une os três concelhos, possam existir zonas de espaço público com atividade de lazer, permitindo que as pessoas tenham acesso à área do rio”, apontou.
 
O autarca de Loures perspetiva que o projeto das três câmaras possa estar “desenhado até ao início do verão, mas não consegue estimar ainda qual será a verba necessária para concretizar a reabilitação da frente ribeirinha.
 
No caso do concelho de Loures, a frente ribeirinha, que ainda não conta com qualquer passeio marítimo, tem cerca de dez quilómetros, que ligam as localidades de Sacavém e Santa Iria de Azóia.
 
Por seu turno, o presidente da Câmara de Vila Franca de Xira, Alberto Mesquita (PS), referiu apenas que aquilo que o seu município pretende é que seja construído “um caminho ribeirinho, pedonal e ciclável, que estabeleça a ligação sul do concelho com o Parque das Nações (Lisboa), atravessando o concelho de Loures ao longo do IC2.
 
No concelho de Vila Franca de Xira já existe um passeio ribeirinho, de 12 quilómetros, entre as freguesias da Póvoa de Santa Iria e Alverca e outro entre Alhandra e Vila Franca, que representaram um investimento da autarquia de 15 milhões de euros.
 
Contactada pela agência Lusa a presidente da Associação de Defesa do Ambiente de Loures (ADAL), Paula Lopes, congratulou-se com a intenção dos três municípios de requalificar a zona ribeirinha do Tejo.
 
“Acompanhamos esta candidatura com muito interesse. Estamos a falar de um território que está muito desqualificado e em que se percebe que as zonas estão desperdiçadas”, apontou a ambientalista.
 
A presidente da ADAL defendeu a necessidade de se eliminarem todas as barreiras existentes e permitir que sejam criados espaços de fruição, de observação de aves e de passeio.
 
“Basicamente, aquilo que temos defendido há muitos anos é a aproximação dos cidadãos ao seu rio. Brevemente iremos pedir mais informações sobre o projeto”, afirmou.