Lisboa em festa prepara-se para a noite de Santo António

Lisboa em festa prepara-se para a noite de Santo António
Na véspera do feriado municipal de Lisboa, celebrado a 13 de junho, as festas da capital têm os seus pontos altos - os arraiais mais concorridos, os Casamentos de Santo António e a descida da Avenida da Liberdade pelas marchas.
A disputa pelo título da melhor marcha já começou no Pavilhão Atlântico, por onde passaram as 20 concorrentes e ainda as marchas dos Mercados e da Voz do Operário (infantil), mas a descida da avenida na noite de 12 de junho servirá de montra para a competição, que este ano segue o mote dos 500 anos do Encontro Cultural Portugal/China e o 125.º aniversário do poeta Fernando Pessoa.
Antes vão estar na emblemática avenida participações orientais: a dança do leão de Macau e a dança do cavalo selvagem do Japão.
  Os casamentos de Santo António decorrem também a 12 de junho, com a celebração de cinco cerimónias civis nos Paços do Concelho (12:00), seguindo-se 11 matrimónios religiosos na Sé (14:30), um copo de água na renovada Estufa Fria, que vai abrir propositadamente, e um desfile pela cidade (16:30).
Estes casamentos começaram em 1958, por iniciativa do Diário Popular, foram interrompidos em 1974, ano da revolução de Abril, e foram retomados sob organização da Câmara Municipal de Lisboa em 1997. Desde então, segundo informação da autarquia, casaram-se 256 casais.
Este ano vão marcar presença oito ‘casais de ouro’, ou seja, que celebram 50 anos de união - casaram em 1963, quando a iniciativa se chamava “Noivas de Santo António”.
Durante o mês de junho decorrem iniciativas como os arraiais populares, o Andar em Festa, com atividades em espaços públicos, o Teatro das Compras, com lojas como cenário de histórias de José Luís Peixoto, o Festival Coral e a Exposição “A Sardinha é de todos”, que este ano comemora o 10.º aniversário da sardinha como ícone das Festas de Lisboa e da cidade. 
O fado também marca forte presença ma programação, servindo de ‘pretexto’ a visitas guiadas pela cidade e concertos, como o que foi agendado para o Mosteiro dos Jerónimos para assinalar os 50 anos de carreira de Carlos do Carmo.
A Câmara de Lisboa lançou também um desafio para serem feitos vídeos sobre o Santo António, padroeiro de Portugal a par com a com Nossa Senhora da Conceição e conhecido como casamenteiro ou a quem se recorre para encontrar objetos perdidos.
Estes vídeos podem vir a ser apresentados no Museu do Santo António, junto à Sé, ou no site e na página do museu na rede social Facebook.
O Lisboa Story Centre prolonga até 16 de junho o horário de funcionamento até às 22:00, numa altura em que a capital recebe “cerca de meio milhão de visitantes nacionais e estrangeiros”, segundo o Turismo de Lisboa.
Neste local pode ser conhecida a história da cidade, numa visita que pode chegar aos 60 minutos e é orientada por um audioguia, disponível em nove idiomas e versão infantil, através dos núcleos: “Lisboa, Mitos e Realidades”, “Lisboa, Cidade Global”, “1 de Novembro de 1755, o dia de Todos-os-Santos”, “A visão de Pombal”, “O Terreiro do Paço” e “Lisboa Virtual”.
As festas iniciaram-se no dia 01 com o espetáculo “Os P.I.G.S. em Festa”, uma criação do humorista Leo Bassi e uma parceria com Centro de criação para Teatro e Artes de Rua, que decorreu no Rossio.
O encerramento vai ser feito no final do mês, na Torre de Belém, com um concerto dos Moonspell e no qual os temas mais emblemáticos desta banda metal serão reinterpretados por exemplo por Pedro Ayres Magalhães e Carlos Maria Trindade (membros dos Madredeus), António Chainho, pela cantora holandesa Anneke Van Giersbergen (ex-Gathering) e pelo grupo de dança do ventre gótico Inis Fatuus Luna.