Linha do idoso da Provedoria de Justiça contactada por mais de três mil pessoas

Linha do idoso da Provedoria de Justiça contactada por mais de três mil pessoas

Quase três mil pessoas contactaram a Linha do Cidadão Idoso do provedor de Justiça, em 2012, mais 10% do que em 2011, a uma média de oito telefonemas por dia, justificando as pensões a abertura de 335 processos formais.
A Linha do Cidadão Idosos integra, juntamente com a Linha da Criança e a Linha do Cidadão com Deficiência, o Núcleo da Criança, do Idoso e do Cidadão com Deficiência (N-CID), do provedor de Justiça.
De acordo com os dados mais recentes do relatório de atividades do provedor de Justiça, a que a Lusa teve acesso, o número de chamadas para a Linha do Cidadão Idoso subiu 10%, entre 2011 e 2012, passando de 2.685 para 2.950, o que dá uma média de oito telefonemas por dia.
Dos quase três mil telefonemas anuais, o provedor abriu 394 processos, 335 sobre pensões.
De todos os contactos, a maioria (325), mais de dez por cento do total, teve a ver com questões de saúde, mas os direitos (223), a ação social (220) ou os serviços de apoio (183) também justificaram os contactos.
Por outro lado, houve 180 contactos telefónicos para denunciar situações de maus-tratos, 117 por causa de abuso material ou financeiro, 104 relativos a lares de idosos, 70 por causa de situações de abandono, outros 70 telefonemas por negligência nos cuidados e 42, entre outros, por causa de carência económica.
Numa tentativa de fazer uma caraterização da população que contacta a Linha do Idoso, o provedor aponta que, na maior parte das vezes (882) foram os próprios interessados a fazer contacto, seguindo-se os familiares (638) e os vizinhos ou amigos (301).
Maioritariamente, os autores dos telefonemas têm entre 71 e 90 anos (1.535 chamadas), “o que será demonstrativo, por um lado, do envelhecimento da população portuguesa e, por outro lado, da capacidade de exercício dos direitos pelos cidadãos mais idosos”.
Em relação ao género, são sobretudo as mulheres (1.546) quem contacta o provedor, mais do dobro dos contactos feitos pelos homens (681).
A Linha do Cidadão com Deficiência, que arrancou formalmente a 22 de abril, recebeu em 2012 180 chamadas, sendo que, “em mais de 80% das situações, a Linha é solicitada a dar informações e a proceder ao encaminhamento dos queixosos”, nota o relatório.
Ainda assim, em 31 dos telefonemas, o contacto teve a ver com legislação e obrigações familiares, enquanto 13 pessoas ligaram por causa de situações de discriminação e violação de direitos e outras 12, por causa da atribuição e verificação de grau de incapacidade.