Junta do Parque das Nações, em Lisboa, leva ao Governo preocupações dos moradores

Junta do Parque das Nações, em Lisboa, leva ao Governo preocupações dos moradores
A Junta de Freguesia do Parque das Nações, em Lisboa, anunciou hoje que vai sensibilizar o Governo para as preocupações dos moradores, devido à falta de centro de saúde e escolas, para que a situação possa ser resolvida.
 
De acordo com o “Diagnóstico Social do Parque das Nações”, as principais preocupações dos 2.229 fregueses inquiridos são a manutenção do espaço público (70,5%), a falta de um centro de saúde (41,1%), a segurança (37%), a falta de escolas ou estabelecimentos de ensino (36,1%), os problemas com a gestão de lixo e a limpeza urbana (32,2%) e o vandalismo (29,5%).
 
O presidente da Junta de Freguesia do Parque das Nações, José Moreno, explicou à agência Lusa que a autarquia tinha noção de todas estas preocupações, especialmente das que estão relacionadas com a falta de centro de saúde e de escolas, mas não existia informação oficial.
 
“Até aqui, não tínhamos dados que suportassem essa informação, apenas reclamações e queixas feitas pelos fregueses” diretamente, disse o autarca.
 
Com o diagnóstico efetuado, “podemos comprovar que estas são as prioridades para a nossa freguesia e para os nossos munícipes” e, dessa forma, “contribuir para que o Governo perceba que é um problema que tem de se resolver”, vincou.
De acordo com José Moreno, a Junta vai enviar o estudo aos ministérios da Educação e da Saúde e “pedir reuniões para falar sobre o documento”, nas quais manifestará “preocupação pelo arrastar dessas situações”.
 
Porém, isso só será feito já com o próximo executivo, que será eleito nas legislativas de 04 de outubro.
 
Segundo José Moreno, inicialmente estavam projetadas quatro escolas para a freguesia, das quais “uma caiu” e outra nunca foi construída e “ninguém fala dela”. Outra – a Vasco da Gama - está a funcionar e a quarta tem de ser terminada – a Escola Básica do Parque das Nações.
 
No que toca à área da saúde, já foram feitos dois projetos para o centro de saúde, mas ainda nenhum foi concretizado, pelo que os residentes têm de usar os que estão mais próximos – Olivais, Moscavide e Sacavém.
 
Na versão inicial do diagnóstico, a falta de um centro de saúde na freguesia e de estabelecimentos de ensino constavam como duas das áreas sobre as quais os moradores afirmaram estar menos preocupados.
 
Contudo, na versão corrigida, essas são duas das principais inquietações dos fregueses.
 
Do lado das menores preocupações dos residentes estão, agora, a falta de farmácias (2,9%), a violência doméstica (3,4%), a falta de serviços comerciais (5,7%) e a violência nas ruas (6,1%).
 
A freguesia do Parque das Nações é gerida, desde as eleições autárquicas de 2013, pelo grupo de cidadãos Parque das Nações Por Nós (PNPN), liderado por José Moreno, que em abril assinou um acordo com o PS.
 
Esta é a freguesia mais recente do país, que agrega áreas que pertenciam à freguesia dos Olivais (Lisboa) e ao concelho de Loures, e foi criada no âmbito da reforma administrativa.
 
O estudo sobre as preocupações dos residentes foi realizado por investigadores da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias e teve um custo de cerca de cinco mil euros.
 
Os dados foram recolhidos entre maio e junho deste ano, resultando numa amostra de 12% do total de eleitores (18.700).