Jorge Coelho vai presidir ao Conselho Empresarial

Jorge Coelho vai presidir ao Conselho Empresarial
O antigo governante socialista Jorge Coelho vai presidir ao Conselho Estratégico Empresarial, criado para promover políticas e medidas que revitalizem a economia do concelho.
 
O executivo camarário aprovou, por maioria, uma proposta do presidente da autarquia, Basílio Horta (PS), para a designação de Jorge Coelho como presidente do Conselho Estratégico Empresarial, no “quadriénio referente ao presente mandato autárquico”.
No documento propõe-se ainda que a estrutura consultiva do presidente da câmara, criada em 2014, prossiga o trabalho desenvolvido no anterior mandato, reiterando “o devido reconhecimento pela muito relevante missão de serviço público” levada a cabo no anterior mandato pelo presidente cessante, o empresário João Talone.
O presidente da autarquia apontou a necessidade de “novas linhas de actuação tendentes a fazer de Sintra um exemplo de desenvolvimento sustentável e de crescimento inclusivo”, atraindo novos investimentos, “com a criação de empregos devidamente remunerados e a inerente coesão territorial e internacionalização do município”.
Objectivos que passam pela continuidade da estrutura consultiva “composta por empresários de dimensão nacional e local e por um representante de cada uma das centrais sindicais”, indica a proposta.
“O Dr. Jorge Coelho é uma personalidade com ligações muito importantes ao mundo político e empresarial, que nos interessa, e é um sintrense”, justificou Basílio Horta.
A proposta do empresário e gestor, de 63 anos, para presidir ao Conselho Estratégico Empresarial foi aprovada pelos eleitos do PS e da coligação ‘Juntos pelos Sintrenses’ (PSD/CDS-PP/MPT/PPM), com um voto contra da CDU. “Consideramos que não é a personalidade adequada para aquele órgão”, justificou o vereador comunista Pedro Ventura, em relação à designação do antigo presidente do conselho de administração da Mota-Engil para presidente da estrutura consultiva.
A autarquia sintrense criou o Conselho Estratégico Empresarial com o objectivo prioritário de “analisar a situação económica e social do concelho na perspectiva das empresas e trabalhadores, propondo às entidades decisórias as medidas que se mostrem adequadas à resolução das questões identificadas”.
Além de promover “políticas e medidas que revitalizem a economia do concelho”, fixando as empresas instaladas e atraindo novos investimentos, a estrutura visa criar “um ambiente propício à realização de negócios e à manutenção da paz social”.O antigo governante socialista Jorge Coelho vai presidir ao Conselho Estratégico Empresarial, criado para promover políticas e medidas que revitalizem a economia do concelho.
 
O executivo camarário aprovou, por maioria, uma proposta do presidente da autarquia, Basílio Horta (PS), para a designação de Jorge Coelho como presidente do Conselho Estratégico Empresarial, no “quadriénio referente ao presente mandato autárquico”.
No documento propõe-se ainda que a estrutura consultiva do presidente da câmara, criada em 2014, prossiga o trabalho desenvolvido no anterior mandato, reiterando “o devido reconhecimento pela muito relevante missão de serviço público” levada a cabo no anterior mandato pelo presidente cessante, o empresário João Talone.
O presidente da autarquia apontou a necessidade de “novas linhas de actuação tendentes a fazer de Sintra um exemplo de desenvolvimento sustentável e de crescimento inclusivo”, atraindo novos investimentos, “com a criação de empregos devidamente remunerados e a inerente coesão territorial e internacionalização do município”.
Objectivos que passam pela continuidade da estrutura consultiva “composta por empresários de dimensão nacional e local e por um representante de cada uma das centrais sindicais”, indica a proposta.
“O Dr. Jorge Coelho é uma personalidade com ligações muito importantes ao mundo político e empresarial, que nos interessa, e é um sintrense”, justificou Basílio Horta.
A proposta do empresário e gestor, de 63 anos, para presidir ao Conselho Estratégico Empresarial foi aprovada pelos eleitos do PS e da coligação ‘Juntos pelos Sintrenses’ (PSD/CDS-PP/MPT/PPM), com um voto contra da CDU. “Consideramos que não é a personalidade adequada para aquele órgão”, justificou o vereador comunista Pedro Ventura, em relação à designação do antigo presidente do conselho de administração da Mota-Engil para presidente da estrutura consultiva.
A autarquia sintrense criou o Conselho Estratégico Empresarial com o objectivo prioritário de “analisar a situação económica e social do concelho na perspectiva das empresas e trabalhadores, propondo às entidades decisórias as medidas que se mostrem adequadas à resolução das questões identificadas”.
Além de promover “políticas e medidas que revitalizem a economia do concelho”, fixando as empresas instaladas e atraindo novos investimentos, a estrutura visa criar “um ambiente propício à realização de negócios e à manutenção da paz social”.