Jamor: Golfe para todos

Jamor: Golfe para todos

A Escola Nacional de Golfe está a dar os primeiros passos no sentido de abrir as portas da modalidade a cada vez mais pessoas. A funcionar desde meados de Junho, recentemente recebeu um conjunto de cidadãos, no âmbito da iniciativa “Começar pelo Início”, desenvolvida pela Federação Portuguesa de Desporto para Pessoas com Deficiência com vista ao fomento da prática desportiva de mais modalidades por parte desta população de necessidades específicas. Foram momentos de grande animação para os participantes – entre os quais nem todos eram assim tão inexperientes a dar tacadas, incluindo até um medalhado nos Special Olympics… – que foram acompanhados pelo presidente daquela federação, José Pavoeiro, e enquadrados tecnicamente por Nuno Campino, seleccionador nacional de golfe e responsável pela escola a funcionar no Jamor.
Entretanto, esta estrutura de ensino está a começar a ganhar as condições necessárias para entrar em velocidade de cruzeiro. Até 31 de Agosto, estará aberta todos os dias, excepto domingos e segundas-feiras, sendo que depois dessa data apenas encerrará às segundas-feiras. A construção do estúdio de filmagem, com câmaras de alta definição e computadores que permitirão visionar ao pormenor o desempenho dos praticantes, deverá estar pronto nas próximas semanas. Só o campo de golfe propriamente dito, de nove buracos, é que vai tardar um pouco mais, não se esperando que abra antes de Setembro.
Nada que belisque o entusiasmo de Nuno Campino pelo novo desafio, lançado pela Federação Portuguesa de Golfe. “O projecto está fantástico, o campo está muito bem desenhado, muito bem feito. Temos é de perceber que o campo é um apoio à Academia, é um apoio a todos os utentes da região, não é propriamente um campo de 18 buracos. O objectivo não é ter mais um campo de golfe, mas sim ter um campo para que as pessoas possam aprender a jogar golfe, evoluir e, depois, então sim, ir para outro tipo de desafios”.
Como primeiro campo público em Portugal, este será um passo “importantíssimo” para atenuar a imagem de elitismo e desenvolver o golfe a nível nacional. “Esperemos que seja o primeiro de muitos do género para que todas as pessoas possam ter acesso, em condições baratas, a instalações de golfe e, assim, podermos envolver e desenvolver mais jovens neste desporto, pois só com mais quantidade se poder ter melhor qualidade”, frisou Nuno Campino ao JR.
Entretanto, a Federação está a promover o contacto da população estudantil da região com o campo de treino do Jamor. E, a partir de Setembro, com o início do ano lectivo, o objectivo da Escola é ter cerca de 50 miúdos a iniciarem-se nas artes do golfe.
Segundo explicou Nuno Campino, o método de ensino visará, para alunos dos seis aos nove anos, promover respostas em termos de funções motoras e coordenadoras que habilitam as crianças para o desporto em geral. “A partir dos 14, devem escolher apenas um desporto… e esperemos que seja o golfe, que é para isso que vamos trabalhar, para os incentivar a ficar nesta modalidade”.
Para marcar aulas na Escola Nacional de Golfe do Jamor basta passar pelas instalações (no Estádio Nacional, situado na Cruz Quebrada) ou utilizar o número 21 412 37 80. O preço das aulas começa desde os 5 euros por hora para juniores e 12,5 euros por hora para adultos, não sendo necessário inscrição.