Homenagem a João Balula Cid no Auditório do Casino Estoril

Homenagem a João Balula Cid no Auditório do Casino Estoril
O Auditório do Casino Estoril acolhe, nesta quarta-feira, 29 de Março, às 21h30, o recital “Homenagem a João Balula Cid”. Um extenso elenco de nomes bem conhecidos do meio artístico sobem ao palco para prestar homenagem ao músico e pianista português. Trata-se de um espectáculo único que conta com o apoio do Casino Estoril, da ArtFeist e da Câmara Municipal de Cascais.
 
Estarão presentes no Auditório do Casino Estoril: António Machado, Professor Barata Moura, Carlos Alberto Moniz, Carlos Guilherme, Celina Pereira, Dora Reis, Doris Himmer, Fernando Pereira, Filipa País, Francisco Balula Cid, Go Graal Blues Band, Henrique Feist, Isabel Cid, Jorge Baptista da Silva, Júlio Isidro, Lucky Duckies (Carla e Marco), Marina e Nariné Dellalyan, Matilde Cid, Nuno Feist, Nuno Santos, Rão Kiao, Teresa Tapada, Vitor de Sousa e Vitorino Salomé
 
O recital “Homenagem a João Balula Cid” terá, ainda, a participação especial de Enzo deD'Avenza (Piano e Teclados), Henry de Sousa (Bateria), João Maló (Guitarra), Nanã Sousa Dias (Saxofone), Nelson Oliveira (Baixo), Renato Junior (Piano), Urbano Oliveira (Bateria e Percurssões).
 
Evocar João Balula Cid é recordar um músico e pianista português que se notabilizou a nível nacional e no estrangeiro. Com mais de 40 anos de carreira e uma vida cheia, João Balula Cid, estudou em Portugal no colégio Moderno, no Colégio Militar, Frequentou o Conservatório, tendo tido os melhores professores e atingindo academicamente o grau de “Master of Fines Arts Administration” pela universidade de Columbia.
 
Prestigiado concertista de piano, João Balula Cid actuou praticamente em todo o mundo, tendo sido, inclusive, director musical do mítico Hotel Kempinski em Berlin. Foi, também, durante largos anos, pianista residente do Casino Estoril.
 
Extremamente versátil na sua arte, João Balula Cid não se limitou a um género pois todos dominava com mestria reconhecida. Essa característica rara permitiu-lhe uma actividade diversificada e ecléctica que lhe abriu as portas a centenas programas televisivos de grande audiência, transformando-o numa figura conhecida do grande público português. Participou ainda na feitura de diversos álbuns discográficos, nomeadamente o “Tributo a José Afonso”.