Grande Prémio de Macau termina com hino português a tocar duas vezes

Grande Prémio de Macau termina com hino português a tocar duas vezes
A 63.ª edição do Grande Prémio de Macau, que terminou hoje, teve 81.000 espetadores e o hino português tocou duas vezes no mesmo dia, algo inédito, como destacou o secretário que tutela o desporto no governo local.
 
O piloto Tiago Monteiro tornou-se o primeiro português a ganhar a Corrida da Guia do Grande Prémio de Macau e António Félix da Costa voltou a vencer a prova de Fórmula 3, título que já tinha conseguido em 2012.
 
"Dois portugueses ganharam, fiquei muito feliz. Não fui só eu, a comunidade portuguesa toda [em Macau] fica muito contente com isso. Nunca se ouviu o hino [de Portugal] por duas vezes no mesmo dia, só hoje, só nesta edição do Grande Prémio. Toda a gente tem de ficar contente", disse o secretário dos Assuntos Sociais do Governo de Macau, Alexis Tam, a jornalistas portugueses e meios de comunicação social em português de Macau.
 
O secretário fazia um balanço da edição deste ano do Grande Prémio de Macau, que considerou "fantástica" e "uma das melhores". Quando questionado por que dizia isso, respondeu que, entre outras coisas, houve a vitória inédia de dois portugueses em duas provas.
 
Alexis Tam fez um balanço "muito positivo" do Grande Prémio deste ano, com "várias corridas fantásticas", que, "felizmente, correram muito bem", realçando que houve duas provas que contaram para taças mundiais da Federação Internacional Automóvel (GT e Fórmula 3), além de ter sido o 20.º ano da corrida de motas.
 
O secretário disse ainda ser "muito cedo" para dizer ou saber se a Corrida da Guia voltará a fazer parte do Campeonato Mundial de carros de turismo WTCC, como aconteceu até 2014.
 
Em 2015 e 2015, esta corrida integrou o campeonato TCR International Series.
 
"Depende de muitos fatores", disse Alexis Tam, que realçou que o Grande Prémio de Macau é "um evento internacional reconhecido", em que "toda a gente" quer participar, mas é "preciso escolher os melhores", porque a prova tem poucos dias de competição.
 
Quatro pilotos portugueses participaram na 63.ª edição do Grande Prémio de Macau, que arrancou na quinta-feira, com os primeiros treinos, e teve, no total, 81.000 espetadores, 31.000 dos quais hoje, segundo dados da organização.
 
Além de Félix da Costa e Tiago Monteiro, estiveram em Macau André Couto (que corre por Macau e terminou em 12.º na Taça GT) e André Pires, que ficou em 19.º nas motos.
 
A Fórmula 3 contou pela primeira vez para a Taça do Mundo da Federação Internacional Automóvel (FIA), pelo que Macau passou a ser o único lugar do mundo que recebe simultaneamente duas Taças do Mundo, em termos de desporto motorizado, segundo a organização.
 

Tiago Monteiro vingou infortúnio de 2014

 
Tiago Monteiro cumpriu a promessa de vingar o infortúnio de 2014 e venceu de forma categórica a corrida do TCR Internacional Series no Circuito da Guia em Macau. O piloto português saiu do terceiro lugar da grelha, fez um arranque notável e assumiu a liderança da prova que não mais largou até ao cruzar de meta.
 
A primeira manga foi atípica mas muita característica das corridas em Macau. Tiago largou de terceiro e em terceiro terminou depois de inúmeras confusões que obrigaram a paragens sucessivas e a pouco tempo de corrida propriamente dita: "Foi muito estranho e difícil. Fiz um bom arranque mas com as lutas fiquei novamente em terceiro, mas logo de seguida a corrida é interrompida e numa sequência de paragens e arranques não deu para recuperar lugares", explicou.
 
Mas o melhor estaria para vir no segundo e último confronto. Tiago estava na terceira posição e uma vez mais sabia que o arranque poderia ser determinante. E se bem o pensou melhor o fez. Assumiu a liderança após a partida numa disputa assertiva e não mais largou o primeiro lugar, gerindo o andamento e lutando pela vitória que lhe escapou em 2014. No final, a alegria pela vitória num circuito que está no imaginário de todos era notória: "Sabia o que tinha de fazer e se fosse bem sucedido tudo poderia acontecer. Arrisquei e consegui. Mas a corrida foi muito complicada. O nível é elevadíssimo e tive de fazer uma enorme gestão para me manter na frente. Sabia que o mínimo deslize poderia ser fatal. Mas quando finalmente vi a bandeira xadrez, a satisfação foi gigantesca. Uma sensação fantástica. Estou muito contente", referiu o piloto da Honda.
 
Mas as alegrias não ficariam por aí, já que Tiago teve a oportunidade de ver António Félix da Costa vencer também a corrida de F3: "Poderá haver melhor desfecho que este?! Estamos todos de Parabéns e o automobilismo nacional também. Foi um enorme orgulho ver o António ganhar. Agora é tempo de festejar", concluiu.

 

Novo Campeão do Mundo Félix da Costa chega amanhã a Lisboa

 
Depois da brilhante vitória de ontem no Grande Prémio de Macau de Fórmula 3, o Novo Campeão do Mundo, regressa amanhã a Lisboa. António Félix da Costa escreveu uma bonita página para o desporto Nacional, entrou para a história e regressa ao seus país amanhã.
 
Ainda a digerir toda a emoção do dia de ontem, onde venceu brilhantemente a 63ª edição do Grande Prémio de Macau, António Félix da Costa regressa amanhã e convida todos os seus apoiantes, amigos e orgãos de comunicação social a estarem presentes no Aeroporto de Lisboa. O novo Campeão do Mundo aterra pelas 09:50 e traz consigo a Taça do Mundo conquistada ontem em Terras do Oriente.
 
António Félix da Costa: "As últimas 24 horas foram de grande emoção. Ainda estou a cair na realidade de ser Campeão do Mundo. Não apenas eu sou mas sim todos os Portugueses, este titulo é de todos nós! Amanhã quando chegar a Lisboa espero puder festejar com muitos dos que sofreram e festejaram a minha vitória em Portugal e também toda imprensa que não se cansou de divulgar este grande feito. É bom sentir este apoio, agora é hora de voltar para casa, ver a minha família, amigos e todos os meus apoiantes!"
 
Félix da Costa venceu desta forma soberba, completando as 15 voltas da corrida na frente de Felix Rosenqvist, com Sergio Sette Camara a fechar o pódio. Portugal escreveu assim mais uma bonita página na história do desporto Nacional, com a conquista do ouro na 63ª edição do Grande Prémio de Macau, uma das provas mais importantes e icónicas do desporto automóvel Internacional, onde na lista de vencedores constam nomes como Ayrton Senna, Michael Schumacher, David Coulthard, além obviamente de António Félix da Costa, que passa a duplo vencedor agora.