Governo realça em Oeiras importância para economia de 'cidades analíticas'

Governo realça em Oeiras importância para economia de 'cidades analíticas'
O secretário de Estado do Ordenamento do Território, Miguel de Castro Neto, disse hoje que o conceito de cidades analíticas, através das tecnologias de informação, é determinante para o desenvolvimento sustentável do país.
 
O governante, que falava em Oeiras no encerramento da conferência "Smarter Future", considerou "incontestável o protagonismo das cidades no desenvolvimento sustentável da economia".
 
Miguel Castro Neto afirmou, por isso, que as cidades "devem ser objeto de atenção especial" e destacou a importância de saber como usar a informação para melhorar a gestão das cidades.
 
"Quando falamos de cidades analíticas, isso quer dizer, [cidades que] tiram partido das tecnologias da informação, como colocá-las ao dispor da sociedade e criar novas soluções, novos modelos de negócio, novas ideias que hoje estamos ainda longe de antecipar", sustentou.
 
O secretário de Estado frisou ainda que os custos para esse modelo "são aceitáveis" e congratulou-se com o caminho que já começou a ser percorrido em Oeiras.
 
A Câmara de Oeiras arrancou em julho um ciclo de debates sobre cidades inteligentes, afirmando-se como o primeiro município do país a querer adotar uma estratégia sustentável que lhe confira o modelo de "cidade analítica", uma componente específica de gestão de informação integrada nas "cidades inteligentes".
 
De acordo com o vereador de Inovação e Empreendedorismo da Câmara de Oeiras, Ângelo Pereira, o objetivo é "fazer de Oeiras o município pioneiro no arranque do projeto".
 
Segundo explicou, o conceito de cidade analítica subentende o desenvolvimento, no meio urbano, de uma base fundamental de conhecimento dos fenómenos da cidade, seja associado aos sistemas, seja associado às próprias pessoas, que orienta as tomadas de decisão e justifica as opções de gestão urbana.
 
Além disso, faz ainda referência à aplicação, em contexto urbano, de métodos avançados de pesquisa e cruzamento de dados, orientados para a definição e avaliação de cenários prospetivos.
 
O objetivo do projeto, de acordo com informação da Câmara de Oeiras, é desenvolver ferramentas de gestão de informação e disponibilização de dados para a posterior criação de sistemas urbanos mais eficientes em energia, transportes, recolha de resíduos, águas, entre outros.
 
O projeto "Cidades Analíticas" é uma iniciativa do Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, promovida pela Direção-Geral do Território, com a colaboração das Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional.