GNR e autoridades espanholas colaboram em operação de segurança para a final da Liga dos Campeões

GNR e autoridades espanholas colaboram em operação de segurança para a final da Liga dos Campeões

A GNR vai colaborar com as autoridades espanholas no desenvolvimento de um dispositivo especial de acompanhamento dos adeptos do Real Madrid e do Atlético de Madrid, para que os dois grupos não se encontrem até Lisboa.

Esta tarde realizou-se em Badajoz uma Junta de Segurança com a final da Liga dos Campeões de sábado na agenda, juntando responsáveis da Guarda Civil e Direção Geral de Trânsito de Espanha com a Polícia Nacional, Serviço Extremenho de Saúde, Cruz Vermelha, Proteção Civil e responsáveis de fronteiras e a portuguesa GNR.

A reunião, cujos resultados serão divulgados na quarta-feira, aborda tudo o que tenha a ver com as estradas entre Madrid e Lisboa, nomeadamente as da Extremadura, entre sexta-feira e domingo, com especial incidência no sábado, dia chave da operação, por ser aquele em que se joga a final, no estádio da Luz.

A operação, que vai ser desenvolvida em colaboração com o Real Madrid e o Atlético de Madrid, implica, nomeadamente, que as claques não tenham as mesmas paragens em estações de serviço ou para descanso no trajeto por estrada entre Madrid e Lisboa e regresso.

O delegado do Governo na Extremadura, Germán López Iglesias, explicou ainda hoje que os Corpos e Forças de Segurança do Estado estão em contacto com os clubes, devido ao grande número de autocarros que vão sair de Madrid para a capital portuguesa.

O objetivo é tentar distribuir as claques dos dois clubes por espaços diferentes, "para que não estejam juntos" e assim evitar conflitos. "Isto não quer dizer que os adeptos não possam conviver, mas procuramos não provocar situações. Se um autocarro do Real Madrid parar num quilómetro, que o do Atlético pare em outro", disse Germán López Iglesias.

Atendendo a que há adeptos que viajam a título individual ou em grupos de casas do clube, em automóveis particulares, a Guarda Civil estará vigilante para saber onde param, não só em restaurantes e bares mas também em gasolineiras.

Em cima da mesa também vão estar preocupações de ordem sanitária e coordenação ante possíveis acidentes que se possam verificar.