Gastronomia ibérica em alta no Guia Michelin para 2017

Gastronomia ibérica em alta no Guia Michelin para 2017
A gastronomia da Península Ibérica está "no auge", destacou hoje a Michelin, na apresentação do guia para 2017, que introduz uma nova distinção - o 'prato Michelin', distinguindo os novos restaurantes com uma "cozinha de qualidade".
 
"Personalidade, criatividade e inegável talento frente aos fogões. A gastronomia de Espanha e Portugal está no auge, o que se traduz numa seleção com nove restaurantes de três estrelas, 28 de duas estrelas e 166 na categoria de uma estrela", foi hoje anunciado na apresentação do Guia Michelin Espanha e Portugal 2017, em Girona, Espanha.
 
Entre os restaurantes distinguidos, Portugal tem cinco com duas estrelas ('uma cozinha excecional, que merece o desvio') e 16 com uma estrela ('cozinha de grande requinte, compensa parar'), um aumento de sete novas distinções em relação ao guia de 2016.
 
Segundo a diretora comercial da Michelin, Mayte Carreño, no guia figuram atualmente 1.750 restaurantes, tendo sido incluídas 350 novas entradas nos últimos dois anos.
 
Já Michael Ellis, diretor internacional do Guia Michelin, sublinhou a qualidade da gastronomia ibérica, comentando que "muitos inspetores internacionais vêm ver a qualidade" da alta cozinha de Espanha e Portugal.
 
"A atratividade da gastronomia é um motor económico fenomenal", destacou o mesmo responsável.
 
Nesta edição, além de uma "chuva" de estrelas, o guia apresenta uma série de mudanças.
 
"Assistimos ao nascimento de um guia Michelin mais

visual, mais intuitivo, mais moderno, e, sobretudo, mais gastronómico do que nunca, mas agora são os restaurantes que assumem o protagonismo", sustentou a organização.

 
O guia apresenta uma nova categoria, o 'prato Michelin', atribuído a restaurantes que acabaram de abrir, mas que já são "apaixonantes".
 
"Este símbolo constata uma cozinha de qualidade e representa um reconhecimento do trabalho e serviço oferecido nessa casa", explica a organização.
 
As novidades do guia 2017 são, para Portugal, na categoria de duas estrelas ('mesa excelente, merece um desvio'), os restaurantes The Yeatman (Vila Nova de Gaia) e Il Gallo d'Oro (Funchal).
 
Com uma estrela ('cozinha de grande fineza, merece uma paragem'), são sete os estabelecimentos portugueses que entram para o 'guia vermelho': Casa de Chá da Boa Nova (Leça da Palmeira), Alma (Lisboa), Loco (Lisboa), William (Funchal), L'And Vineyards (Montemor-o-Novo, recuperando a estrela que perdera na edição anterior), Antiqvvm (Porto) e Lab by Sergi Arola (Sintra).
 
Em Espanha, o principal destaque é o nono restaurante a alcançar a distinção máxima (três estrelas, 'uma cozinha única, justifica a viagem,') - o Lasarte (Barcelona)