Fuzileiros vão vigiar praias sem banheiros

Fuzileiros vão vigiar praias sem banheiros

Os fuzileiros vão, durante toda a época balnear, prestar apoio na segurança das praias não-vigiadas, operando os meios complementares de socorro atribuídos às Capitanias pelo Instituto de Socorros a Náufragos, indicou hoje a Marinha em comunicado.

Desde 01 de Junho (desde 01 de maio no concelho de Cascais) e até 30 de Setembro, um total de 80 fuzileiros estarão envolvidos na “missão de assegurar eficazmente a vigilância e assistência a banhistas ao longo dos mais de 2.800 quilómetros de costa portuguesa”, lê-se no documento enviado à Lusa.

Para tal, os militares envolvidos receberam formação de nadadores-salvadores e de técnicas especiais para operar os meios utilizados na segurança balnear.

Segundo a Marinha Portuguesa, “o sistema estabelecido já provou a sua eficácia, como se pode constatar pelo baixíssimo número de acidentes fatais registados durante a época balnear transacta, sendo Portugal o país do mundo com a menor taxa de mortalidade por afogamento nas praias vigiadas”.

De acordo com a mesma fonte, “estima-se que, durante a época balnear, os portugueses visitem as praias portuguesas 55 milhões de vezes, bem como exista uma afluência de cerca de 11 milhões de turistas numa perspectiva de turismo balnear”.