Final da Taça de Portugal vai ter uma inédita cerimónia de abertura

Final da Taça de Portugal vai ter uma inédita cerimónia de abertura

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) revelou que a final da Taça de Portugal deste ano, entre Benfica e Vitória de Guimarães, será antecedida, pela primeira vez, por uma cerimónia de abertura.
Numa conferência de imprensa conjunta com a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e a RTP, relativa à organização da final de domingo, o vice-presidente da FPF, Hermínio Loureiro, foi o porta-voz da revelação, ainda que não adiantando pormenores sobre a cerimónia.
"Pela primeira vez, a final da Taça vai ter uma cerimónia de abertura, que vai surpreender quem for ao estádio, mas também quem assistir em casa. Vão ser celebrados os valores da Taça de Portugal. Os ‘tomba gigantes’ vão ser lembrados. Será surpreendente", afirmou o dirigente federativo.
Dessa forma, Hermínio Loureiro voltou a lançar o repto para que as pessoas cheguem mais cedo ao Estádio Nacional, Oeiras, porque "vão ter outros meios de comodidade e vale a pena assistir à cerimónia de abertura".
Por outro lado, segundo o diretor-adjunto de Informação da RTP, Miguel Barroso, a final da Taça de Portugal terá uma cobertura televisiva ao nível das maiores competições internacionais, com o intuito de oferecer "algo de memorável" aos espetadores.
"Vamos ter uma cobertura dos momentos que antecedem o jogo que só é adotada em competições da FIFA, nomeadamente no Campeonato do Mundo de futebol. A RTP está muito empenhada neste evento, consciente de que os portugueses têm hoje cada vez menos acesso ao futebol gratuito na televisão. Vamos investir para que seja algo de memorável para as pessoas", referiu.
No entanto, a cobertura da decisão da prova "rainha" do futebol nacional começará no sábado, com programas em direto das imediações do Jamor, enquanto no próprio dia do jogo a emissão iniciar-se-á às 11:00 e só terminará às 20:00.
Quanto aos números do investimento, Miguel Barroso garante que "o custo da transmissão da final será exatamente idêntico ao do ano passado".
"Foi uma condição, que será cumprida. Há um maior investimento, mas também alguma criatividade e engenharia, para que os custos sejam contidos e idênticos aos do ano passado", afirmou.
Já o vice-provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, Fernando Pais Afonso, realçou "o momento de forte celebração nacional" que é a final da Taça, razão pela qual a Santa Casa se associou, desde o início, a esta competição.
Fernando Pais Afonso revelou ainda que, no final do jogo, será entregue um troféu "fair-play" ao jogador que se distinguir "pela lealdade" e outro para o "homem do jogo", entregue ao melhor jogador em campo.
A 73.ª final da Taça de Portugal, que opõe o Benfica ao Vitória de Guimarães, realiza-se no domingo, a partir das 17:15, no Estádio Nacional, e será arbitrada pelo portuense Jorge Sousa.