Fim de semana mais quente do ano não chega para ser onda de calor

Fim de semana mais quente do ano não chega para ser onda de calor
As temperaturas elevadas registadas durante o fim de semana não são consideradas uma onda de calor pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), embora nesse período os termómetros tenham subido o valor mais alto do ano.
   
Maria João Frada explicou que uma onda de calor só ocorre quando, numa determinada estação, "temos seis dias consecutivos em que a temperatura máxima é superior em cinco graus à temperatura média", avançando que, neste momento, "ainda não houve nenhuma estação" este ano em que se tenha registado uma onda de calor.
 
De acordo com a meteorologista, o tempo quente que se fez sentir no fim de semana foi "o episódio em que, durante este verão", houve "maior persistência de dias em que as temperaturas foram elevadas, em que houve maior contribuição para uma situação de onda de calor", ma sem a atingir.
 
As temperaturas mais elevadas registadas neste episódio ocorreram no dia 17 de julho, em Tomar, com 42,8 graus Celsius, e no Vale do Tejo, com 42,3, avançou Maria João Frada.
 
"No entanto, no início de julho, houve também um episódio com temperaturas elevadas, muito perto das que se observaram agora, a partir do dia 14 de julho, que foi, por exemplo, em Elvas [que registou 42,5 graus] no dia 03 de julho", disse.
 
Já em Lisboa e em Setúbal, no dia 15 de julho, verificou-se uma temperatura máxima de 36,8 e 38,2 graus Celsius, respetivamente.
 
Segundo o IPMA, a partir de hoje espera-se uma "pequena descida dos valores de temperatura máxima nas regiões do Litoral Oeste", à exceção de Braga, de Coimbra e de Leiria, que ainda mantêm o aviso de tempo quente, sobretudo na "parte mais interior desses distritos".
 
"No Litoral, na faixa costeira, temos muita nebulosidade baixa, que, eventualmente, na região Centro poderá permanecer todo o dia", sublinhou Maria João Frada, avançando que "as temperaturas não vão ultrapassar os 25 graus Celsius".
 
A descida da temperatura entende-se, a partir de terça-feira, às regiões Norte e Centro, enquanto no Baixo Alentejo e no Algarve se prevê uma pequena subida de temperatura máxima "na ordem de dois, três graus Celsius", frisou a meteorologista.
 
A partir de quarta-feira, e sobretudo nas regiões do Litoral, Centro e Sul, "vamos sentir uma pequena nova descida dos valores da temperatura máxima, e uma intensificação do vento", disse, prevendo que a situação se mantenha até sexta-feira.
 
Até lá, o vento vai ser em geral fraco, soprando "em regime de nortada durante a tarde, apenas na faixa costeira ocidental, portanto, é muito temporário", salientou.
 
Relativamente à temperatura da água do mar, na costa sul do Algarve, são esperadas temperaturas entre os 20 e os 23 graus Celsius.
 
"Na costa ocidental, temos valores de temperatura da água do mar a variar entre os 15 graus Celsius, mais a norte, e os 17, 18, mais a sul", avançou.
 
De acordo com o IPMA, no fim de semana espera-se uma nova subida da temperatura máxima.