Filipe Lopes mostra em Cascais como as histórias podem ser grátis em tempos de crise

Filipe Lopes mostra em Cascais como as histórias podem ser grátis em tempos de crise

Cascais é o próximo ponto de passagem da oficina “Histórias grátis em tempos de crise”, uma iniciativa de Filipe Lopes, promotor de leitura e fundador do Grupo O Contador de Histórias. A 9 de Novembro na Biblioteca da Casa da Horta do Jardim de Santa Clara e a 7 de Dezembro na Biblioteca Infantil e Juvenil, ambas em Cascais,  pais, avós, educadores ou apenas curiosos podem (re)descobrir o prazer de contar e ouvir histórias, recuperando uma tradição milenar que apenas depende da memória e da imaginação.

 

Num momento em que os orçamentos familiares se reduzem a ponto de muitas actividades para os mais novos terem de ser limitadas, a narração oral, mesmo sem o suporte do livro, recupera algum do espaço que sempre teve. Promovendo o contacto intergeracional e um ambiente familiar mais próximo, contar (e escutar) histórias ajuda também a abordar medos e preocupações, num espaço que pode ser de carinho e descoberta, com divertimento para todos. Relembrar histórias que ouvimos enquanto crianças, aprender a estruturar o discurso e algumas técnicas para animar a narração são algumas das propostas de trabalho para esta oficina “Histórias grátis em tempos de crise”Filipe Lopespercorre o país há mais de uma década, promovendo a leitura junto de público de todas as idades, tendo já realizado cerca de 300 sessões de formação para pais e educadores.

 

Para além desta oficina para adultos, as bibliotecas de Cascais vão ainda receber outras iniciativas desenvolvidas por Filipe Lopes: a 8 de Novembro, às 10h30, na Biblioteca Infantil e Juvenil (no Parque Marechal Carmona), os mais pequenos vão ter “Histórias com Bicho”, enquanto que à tarde, às 14h30, são os idosos o público-alvo, com “Histórias ao Fumeiro”, na Biblioteca Municipal (na Casa da Horta da Quinta de Santa Clara). A 11 de Novembro é o público adolescente que participa no recital “Ah! Isto é que é poesia!?”, às 14h30 na Biblioteca de São Domingos de Rana.