Festival Internacional de Cultura em Cascais

Festival Internacional de Cultura em Cascais
O Festival Internacional de Cultura vai arrancar hoje pela primeira vez e Cascais foi o local escolhido para os dez dias dias de um evento que tem por objetivo celebrar o livro a partir de outras formas de arte.
 
A partir de hoje, e até 12 de julho, vários nomes da música, teatro e literatura vão estar reunidos na primeira edição do Festival Internacional de Cultura (FIC), que tem a escritora Lídia Jorge como curadora.
 
A conversa entre os irmãos António e João Lobo Antunes, que acontece no sábado, no Museu Paula Rego, a entrevista de Clara Ferreira Alves ao escritor israelita David Grossman (domingo) e o debate entre a escritora Maria Teresa Horta e o jornalista José Fialho Gouveia (segunda-feira) são os "grandes momentos" do festival, para Lídia Jorge.
 
"Penso que vão ser daqueles grandes momentos, inéditos, que os amantes da Cultura não vão querer perder", disse a curadora.
 
Na altura da apresentação do evento, Lídia Jorge frisou que o festival tem por objetivo mostrar que "o livro é o elemento estrutural e é o objeto que constitui o pilar fundamental de todas as artes".
 
Com entrada gratuita, o FIC arranca, hoje às 21:30, no Centro Cultural de Cascais, com a peça "Dom Quixote de La Mancha", de Yves Jamiaque, baseada na obra de Miguel de Cervantes, encenada pelo Teatro Experimental de Cascais, numa homenagem aos 50 anos das Publicações D.Quixote.
 
Atividades em família, percursos temáticos, artes plásticas e de outras disciplinas, debates sobre literatura e atualidade, exposições, noites de poesia e espetáculos de teatro e de música estão incluídos na programação do FIC, que vai incluir ainda uma Feira do Livro.
 
Do programa consta ainda um debate sobre "A Europa no seu labirinto - A crise ética e a ética da crise", entre Jaime Nogueira Pinto e Francisco Louçã, com moderação de Maria João Avillez.
 
"Rimos de quê? - O Humor e a Literatura" é o mote de discussão entre Rita Ferro, Maria Rueff e Nuno Artur Silva, moderado por Francisco José Viegas, a 09 de julho.
 
Os escritores Mia Couto, José Eduardo Agualusa e Lídia Jorge vão, a 10 de julho, falar sobre "África na Literatura Lusófona", num debate moderado por Laurinda Alves.
 
A relação Cinema e a Literatura vai chamar à discussão os realizadores João Botelho e Margarida Cardoso e a atriz Inês de Medeiros (que também dirigiu ficção e um documentário), num encontro moderado por Mário Augusto, a 11 de julho.
 
Na vez da Música, João Afonso, Ana Bacalhau e Capicua vão falar sobre "Sons da Mudança - a música na definição da identidade", a 12 de julho.
 
Organizado pela Câmara de Cascais e pelo grupo LeYa, o evento quer chegar a diferentes públicos e deverá repetir-se nos próximos anos.