Festival da sustentabilidade alerta para o poder de cada um

Festival da sustentabilidade alerta para o poder de cada um
Os visitantes do festival da sustentabilidade, que hoje começou, no Estoril, podem participar em várias atividades que chamam a atenção para "o poder" de mudança de cada um, em feiras de usados ou em conferências sobre saúde ou mudança climática.
 
Este ano, na sua 8.ª edição, o Greenfest, a decorrer até domingo, volta a informar e sensibilizar a população para temas da sustentabilidade na vertente económica, social ou ambiental com iniciativas que pretendem agradar a todas as classes etárias, dos netos aos avós.
 
Com o tema "Cidadania Ativa" e o lema "tenho o poder - de me informar, de agir, de mudar, de ir, de sorrir", o festival realça o poder que cada um tem de fazer a diferença e apresenta a primeira Feira das ONG (organizações não governamentais), com 150 participantes nacionais e estrangeiras.
 
"São muitas as atividades [desenvolvidas por] estas organizações, que cobrem variadas áreas em termos geográficos e de natureza da atividade, do apoio a crianças a idosos a carenciados, solidariedade social, preocupações ambientais", disse à agência Lusa o mentor da Greenfest, Pedro Norton de Matos, aquando da apresentação do programa do festival.
Como em todas as edições, estão representados os três pilares da sustentabilidade, as vertentes ambiental, social e económica, refletidas nas várias iniciativas que chamam a atenção para a necessidade de proteger a natureza, vivendo em harmonia com os seus ritmos, adotando comportamentos que passam pela reciclagem ou pela utilização eficiente da água.
 
Um dos exemplos deste apelo é a apresentação de um conceito de casas modulares - chamado de AMETRO - com base na reutilização de contentores marítimos, que dão lugar a habitações evolutivas e ecológicas.
 
Entre as atividades no aspeto social ou solidário do Greenfest está a Caminhada AJU (da Fundação AJU Jerónimo Usera) para percorrer cerca de 2,5 quilómetros nos jardins do Casino Estoril, com o valor das inscrições a serem direcionados para a ajuda de famílias carenciadas do concelho de Cascais.
 
No âmbito de um protocolo com a Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal, serão realizados rastreios, levantamentos de perfis de risco e chamadas de atenção para o estilo de vida, que tem que ver com a diabetes, doença que vai estar em foco no Greenfest.
 
Depois dos 25 mil visitantes da edição de 2014, Pedro Norton de Matos espera que, este ano, outra novidade também faça a diferença: trata-se do projeto de criação de cenários com materiais usados, "lixo" não convencional recolhido pelos serviços da Câmara Municipal de Cascais, para fomentar a reutilização.