Festival Córtex 2015 estende-se aos mais novos e dedica-se ao cinema da Dinamarca

Festival Córtex 2015 estende-se aos mais novos e dedica-se ao cinema da Dinamarca
O festival português de curtas-metragens Córtex, a decorrer até dia 15 em Sintra, irá mostrar, em estreia, filmes do realizador Lars von Trier e terá uma competição a pensar no público infantil.
 
A quinta edição do festival decorrerá de 12 a 15 de fevereiro, no Teatro Reflexo, em Sintra, e prestará homenagem ao cinema dinamarquês, exibindo "Nocturne" e "Image of a relief", duas curtas-metragens de Lars von Trier, do tempo em que ainda era estudante da Danish Film School.
 
"Depois da sessão de abertura, haverá uma conversa em torno da obra do realizador, com Peter Schepelern, antigo professor de von Trier e provavelmente o maior teórico sobre o seu trabalho", sustenta a organização do Córtex.
 
Uma das novidades é a criação da secção "Hemisfério", na qual uma instituição de cinemma internacional é convidada a programar um ciclo de curtas-metragens do seu país. Este ano, o convite foi feito à Danish Film School.
 
Em colaboração com o festival Monstra, o festival programou o Mini-Córtex, uma competição com nove curtas de animação portuguesas e internacionais com intenção de "envolver e estimular os mais pequenos, através do dispositivo que é o cinema".
 
A competição internacional apresenta 12 filmes e, a nacional, 16, entre os quais "Ennui, Ennui", de Gabriel Abrantes, "Fuligem", animação de David Doutel e Vasco Sá", "Miami", de Simão Cayatte, "Sonâmbulos", de Patrick Mendes, e "Triângulo Dourado", de Miguel Clara Vasconcelos.
 
Margarida Vila Nova, Filipe Vargas, Inês Medeiros, Pedro Filipe Marques e Manuel Mozos são os júris desta edição do Córtex.
 
Como a Dinamarca é o país em foco, o Córtex organizou ainda, no novo MU.SA - Museu das Artes de Sintra, concertos de Mikkel Solnado e da violinista Lilia Donkova com o acordeonista Gonçalo Pescada, numa atuação durante a qual serão projetados filmes de Carl Theodor Dreyer, realizador de "A paixão de Joana d'Arc", referência do cinema mudo.