Festivais de música beneficiaram com aumento do poder de compra dos portugueses

Festivais de música beneficiaram com aumento do poder de compra dos portugueses
O poder de compra dos portugueses que frequentaram festivais de música aumentou em 2016 e isso refletiu-se no consumo nesses eventos, segundo um estudo da Associação Portuguesa de Festivais de Música (Aporfest).
   
Na apresentação do "perfil do festivaleiro 2016", em Lisboa, no fórum Talkfest, o presidente da Aporfest, Ricardo Bramao, revelou que os inquiridos para este estudo têm um rendimento mensal entre os 500 e os mil euros. Em 2015, o rendimento médio era até 500 euros.
 
Segundo o responsável, em 2016 houve mais espectadores a gastar diariamente entre 10 a 20 euros nos festivais de música.
 
"Os festivais colocam mais conteúdos para que os festivaleiros fiquem mais tempo no recinto e melhoraram várias áreas, como a restauração", disse Ricardo Bramão.
 
No total, em 2016 foram contabilizadas 2,1 milhões de entradas em 249 festivais de música, dos quais 64 aconteceram pela primeira vez. Em 2015 eram 210 festivais e 1,8 milhões de entradas.
 
"Notamos que há um conjunto de festivais intermédios, como o Med Loulé, o Sol da Caparica ou o Bons Sons, que está a crescer, mas a diferença acentua-se" em relação a festivais de dimensão maior, disse Ricardo Bramão.
 
Olhando para o panorama dos festivais de música, a Aporfest refere que "há muitos festivais de pequena dimensão e pode haver uma certa canibalização entre eles".
 
Traçando o perfil, o estudo mostra que o espectador dos festivais é maioritariamente feminino (69%), tem entre 21 e 24 anos, é solteiro e licenciado.
 
Em média, esteve em 2,7 festivais de música em 2016, a maioria de rock, música alternativa e independente.
 
Sessenta por cento dos espectadores inquiridos diz que aproveita a ida a um festival para fazer outras atividades culturais e turísticas.
 
Em 2016, os participantes preferiam os festivais de música Nos Alive, Super Bock Super Rock e Vodafone Paredes de Coura.
 
Este ano, 85% gostaria de ir a festivais no estrangeiro.
 
As marcas mais recordadas pelos espectadores em 2016 - associadas a festivais de música - foram as empresas Vodafone, Nos, Super Bock e EDP.
 
O estudo foi feito no final de 2016 pela Internet, tendo sido validadas 1.217 respostas.
 
Esta é a quarta edição do "perfil do festivaleiro", publicado pela Aporfest.