Festa do Património é celebrada pela primeira vez no sábado

Festa do Património é celebrada pela primeira vez no sábado
O Palácio da Ajuda, em Lisboa, é o cenário da primeira edição da Festa do Património, no próximo sábado, que inclui recriações históricas, ateliês de conservação e restauro, e concertos, anunciou a Direção-Geral do Património Cultural (DGPC).
 
“O objetivo é que este evento se torne uma tradição, a realizar anualmente no primeiro sábado de julho, afirmando-se como um espaço privilegiado e festivo de sensibilização do público para as diversas artes, ofícios e saberes do Património Cultural, material e imaterial”, afirma a DGPC em comunicado.
 
Os diferentes eventos acontecem entre as 10:00 e as 23:00, e incluem-se visitas guiadas ao palácio, que foi residência régia até outubro de 1910, e gastronomia.
 
Da programação fazem parte ateliês de cestaria, olaria, restauro de instrumentos musicais e cinzelagem de joias, um “clube de arqueologia” e um “laboratório de conservação e restauro de arqueologia”.
 
Na área das recriações históricas, estão previstas uma da época romana e de um acampamento pré-histórico do Paleolítico Superior (35.000-31.000 antes de Cristo), e da nau de Nossa Senhora dos Mártires, que fez a carreira de especiarias da Índia, no século XVI, e que naufragou, em 1606, ao largo de Oeiras, nos arredores de Lisboa.
 
Os despojos da nau foram identificados em 1994 e dois anos depois iniciou-se uma campanha arqueológica que terminou em 2001. Alguns dos artefactos da nau foram apresentados na Exposição Internacional de Lisboa, em 1998.
 
Na área musical, além de espetáculos de fado, género musical classificado pela UNESCO como Património Cultural Imaterial da Humanidade em 2011, estão previstos concertos pelo Quarteto de Cordas da Banda da GNR, pelo Banda Sinfónica do Exército e pelo Gospel Collective.
 
Por iniciativa da Comissão Europeia, 2018 será o Ano Europeu do Património Cultural e, segundo o portal do programa europeu 2020, esta celebração visa “incentivar a partilha e a apreciação do património cultural da Europa enquanto recurso partilhado, sensibilizar para a história e os valores comuns e reforçar o sentimento de pertença a um espaço europeu comum”.
 
Em 2018, celebra-se 100.º aniversário do fim da I Guerra Mundial e a independência de vários Estados-membros da União Europeia, nomeadamente pelo desmembramento do Império Austro-Húngaro e pela queda de várias monarquias, bem como os 400 anos do início da Guerra dos Trinta Anos (1618-1648), que se fez sentir essencialmente na atual Alemanha, mas que abalou todo o continente, opondo católicos e protestantes, e por questões dinásticas e constitucionais.