Festa do atletismo em São João das Lampas

Festa do atletismo em São João das Lampas

A tarde de sábado foi de grande animação em São João das Lampas, devido á realização de mais uma edição da Meia Maratona daquela freguesia rural do concelho de Sintra. Sendo uma das mais antigas e carismáticas provas do género realizadas no nosso País, mesmo sem prémios monetários, a Meia Maratona de São João das Lampas reuniu um número quase recorde de participantes, cerca de 700. Em paralelo, para os menos preparados, teve lugar uma mini maratona, de 5 km, igualmente bastante participada.

Este ano, a prova foi englobada no programa dos festejos populares em honra de Nossa Senhora da Saúde, facto que atraiu muita gente a São João das Lampas, “constituindo um belo momento de animação, no culminar de uma semana recheada de motivos de interesse”, salientou Guilherme Ponde de Leão, presidente daquela junta de freguesia.

Do ponto de vista competitivo, António Sousa, do Garmin/Olímpico de Oeiras, foi o melhor, vencendo de forma destacada com o tempo de 1.12,15 horas, seguido por Emiliano Vieira, da Odimarq Alumínios (1.12,43). Estes dois atletas destacaram-se do pelotão desde os primeiros quilómetros, realizando uma prova quase à parte. O terceiro, João Caldeira, atleta veterano do Linda-a-Pastora, só chegou três depois, realizando o tempo de 1.15,28 horas.

“Esta é uma prova muito, mas mesmo muito difícil. Por isso lhe chamam Meia Maratona de São João das Rampas. O percurso é muito selectivo e duro, pelo que esta vitória não foi nada fácil. A princípio, andei na peugada do Emiliano Vieira, mas consegui destacar-me dele e chegar ao fim com vantagem. Já cá tinha estado enquanto sénior e nunca consegui vencer. Agora que corro noutro nível, esta vitória tem um sabor ainda mais especial”, referiu o vencedor.

A nível feminino, Anabela Gomes, do Arrudense, venceu pelo segundo ano consecutivo e, mais uma vez, sem qualquer oposição, com o tempo de 1.26,26. “Apesar da vitória destacada, não foi fácil. Tive um problema a meio, parei para vomitar, mas consegui recuperar e ganhar. Gosto muito desta prova, pois é dura, mas eu gosto de trepar”, salientou Anabela Gomes.

A nível organizativo, Fernando Andrade, director da prova, traçou um “balanço positivo”, apesar dos cortes orçamentais que limitaram o valor dos prémios. “Tivemos muita gente, a festa foi bonita e tudo correu pelo melhor”, declarou o organizador.