Fernando Pimenta e Telma Monteiro eleitos Atletas do Ano

Fernando Pimenta e Telma Monteiro eleitos Atletas do Ano
O canoísta Fernando Pimenta conquistou pela primeira vez o prémio de Atleta Masculino do Ano na Gala da Confederação do Desporto de Portugal (CDP), realizada quarta-feira à noite no Casino Estoril, com Telma Monteiro a ser distinguida pela quarta vez.
 
"Isto é mais difícil do que fazer canoagem. Antes de mais, pedia ao João Pereira e ao Rui Bragança que se ponham de pé, merecem aplausos. Portugal tem vindo, ano após ano, a mostrar-se como uma grande potência do desporto europeu", começou por dizer o canoísta, antes de prosseguir: "Infelizmente, este ano não consegui o resultado que ambicionava. Fiz tudo o que podia em prol de Portugal, mas às vezes as coisas não acontecem".
 
O campeão europeu de K1 1.000 metros e K1 5.000 metros e quinto classificado no K1 1.000 metros nos Jogos Olímpicos Rio2016 já tinha vencido na categoria de Equipa do Ano, ao lado de Emanuel Silva, em 2012.
 
Fernando Pimenta bateu o futebolista Pepe, campeão da Europa com a seleção portuguesa de futebol e vencedor da Liga dos Campeões com o Real Madrid, Rui Bragança, bicampeão europeu de taekwondo na categoria -58 kg e nono no Rio2016, Marcos Freitas, quinto em singulares masculinos no ténis de mesa do Rio2016, e o triatleta João Pereira, quinto no Rio2016.
 
No setor feminino, o prémio da atleta do ano da Confederação do Desporto de Portugal foi para a judoca Telma Monteiro, medalha de bronze na categoria -57 kg dos Jogos Olímpicos do Rio2016, que já tinha sido distinguida e 2010, 2011 e 2014.
 
"Este ano, realmente, foi um ano muito especial. Quero partilhar este prémio com todos os atletas que estiveram nos Jogos Olímpicos", transmitiu no seu discurso.
 
Monteiro derrotou a atleta Patrícia Mamona, campeã europeia de triplo salto, a navegadora Inês Ponte, primeira mulher a conquistar o campeonato nacional de ralis, a cavaleira Luciana Diniz, nona na competição de saltos de obstáculos no Rio2016, e a canoísta Teresa Portela, 11.ª no K1 500 metros olímpicos.
 
Os restantes prémios foram dominados pelo futebol, algo raro na Gala do Desporto, com Fernando Santos a ser escolhido como Treinador do Ano, a seleção campeã europeia como Equipa do Ano e Renato Sanches como Jovem Promessa.
 
Fernando Santos, selecionador campeão da Europa de futebol, foi o preferido dos votantes, superando Carlos Resende, do ABC, campeão nacional de andebol e vencedor da Taça Challenge, José Uva, treinador de Patrícia Mamona, Rui Câncio, selecionador nacional de maratona (canoagem), e Luís Sénica, selecionador campeão europeu de hóquei em patins.
 
"Acho que este foi um ano de ouro para o desporto português. Obrigado em meu nome. Quero agradecer a todos os que trabalharam comigo ao longo destes dois anos e que contribuíram para que Portugal fosse campeão da Europa", disse o selecionador português de futebol.
 
A seleção de futebol, campeã no Europeu de França, bateu na corrida a Equipa do Ano a formação feminina de atletismo do Sporting, campeã europeia de clubes em pista, o K2 1.000 metros, composto pelos canoístas Emanuel Silva e João Ribeiro, quartos no Rio2016, a seleção de ténis de mesa, nona nos Jogos Olímpicos, e a de hóquei em patins, campeã da Europa de seniores masculinos.
 
Já a sensação Renato Sanches, vencedor do prémio 'Golden Boy', atribuído pelo jornal italiano 'Tuttosport', que distingue o melhor jogador sub-21 a atuar na Europa, superou as 'promessas' Marisa Vaz de Carvalho, campeã e recordista juvenil da Europa dos 100 metros barreiras, o ciclista Ivo Oliveira, vice-campeão europeu de perseguição individual de sub-23, a nadadora Tamila Holub, campeã europeia júnior nos 1.500 metros livres, e Júlio Ferreira, ouro na categoria -74 kg do taekwondo nos Jogos Europeus Universitários.
 
Na Gala do Desporto foi igualmente entregue o Prémio Ética no Desporto ao motociclista Paulo Gonçalves, pela atitude que teve no Dakar'2016, quando assistiu um adversário que sofreu um acidente na corrida.
 
"Há valores que estão muito para além das vitórias e das derrotas, como o 'fair-play'. Fico muito contente se este pequeno gesto servir de exemplo aos mais jovens. Temos muitas responsabilidades, são-nos exigidas vitórias, mas a solidariedade é mais importante do que isso", frisou no seu discurso Paulo Gonçalves, que liderava a geral quando percebeu que o piloto austríaco Matthias Walkner, o seu rival, tinha sofrido um acidente e prestou-lhe auxílio até que a equipa médica chegasse ao local.
 
O Prémio Alto Prestígio, a mais alta distinção da entidade, foi repartido entre as Federações de futebol e de surf.