Famílias carenciadas de Cascais passam a pagar 50% dos medicamentos

Famílias carenciadas de Cascais passam a pagar 50% dos medicamentos

As famílias carenciadas do concelho de Cascais a quem no ano passado eram oferecidos medicamentos vão passar a pagar 50% do valor, sendo a outra metade comparticipada pela Câmara de Cascais.

O vereador da Acção Social, Frederico Pinho de Almeida, o explicou hoje à Lusa que o projecto "Farmácias do Concelho de Cascais", criado no ano passado, vai ganhar um novo formato, já sem qualquer comparticipação das farmácias, mas de modo a abranger mais famílias.

"No ano passado o acesso aos medicamentos era gratuito e por isso não podia servir tantas famílias. Até 2013 o que pretendemos é que mais famílias possam ser ajudadas e haja mais farmácias a colaborar", esclareceu.
Desta forma, a Câmara de Cascais decidiu disponibilizar uma verba de 60 mil euros até ao final de 2013, comparticipando 50% do custo dos medicamentos adquiridos pelas famílias carenciadas sinalizadas por instituições sociais do concelho e que tratam também do encaminhamento para as farmácias parceiras.
Este projecto envolve 30 farmácias e 15 organizações de intervenção social do concelho e o protocolo será formalizado na terça-feira.
Para o presidente da Câmara de Cascais, Carlos Carreiras, esta iniciativa surge numa altura em que as autarquias devem cada vez mais garantir a proximidade dos munícipes. 
"Neste período de grande dificuldade que o país está a passar, o valor da proximidade tornou-se emergente. Apesar de todas as vicissitudes e de todas as contingências, não podemos, em circunstância alguma, virar as costas aos nossos cidadãos mais fragilizados", sustentou o autarca em comunicado. 
O "Projecto Farmácias do Concelho de Cascais" foi criado em Fevereiro de 2011 com o objectivo de "proporcionar aos munícipes mais fragilizados, do ponto de vista económico e social - cerca de 2.800 famílias por ano - o acesso a medicamentos e outros bens sempre em articulação com as instituições que integram a Rede de Apoio Social".
Nos primeiros cinco meses da iniciativa, segundo dados da autarquia, eram já dezenas de famílias a beneficiar deste projecto de nível gratuito.
No ano passado apenas 11 farmácias faziam parte do projecto e a verba disponibilizada pelas farmácias era de seis mil euros.