Familiares de alunos de Oeiras internados dizem que comida da escola é de má qualidade

Familiares de alunos de Oeiras internados dizem que comida da escola é de má qualidade
Familiares de crianças transportadas hoje para o hospital na sequência de uma intoxicação alimentar numa escola de Carnaxide, Oeiras, afirmaram que não é a primeira vez que acontece e que os alunos se queixam da má qualidade das refeições.
 
Maria do Rosário Neto foi avisada pela Escola Sophia de Mello Breyner de que a sua neta de 10 anos tinha sido levada para o hospital “com vómitos, dor de cabeça e diarreia” e a criança está neste momento no Hospital Amadora-Sintra.
 
“É a segunda vez que a minha neta vai para o hospital depois de almoçar na escola e isto acontece porque não há higiene nem fiscalização”, afirmou.
 
Maria João Correia, mãe de duas alunas que foram almoçar a casa, afirmou, por seu lado, que os pais deveriam iniciar uma ação contra a escola, porque “isto não pode continuar”.
 
Vários alunos que estão em frente à escola disseram à Lusa que a comida não tem qualidade.
 
O número de alunos da Escola Sophia de Mello Breyner, em Carnaxide, Oeiras, transportados hoje para hospitais devido a uma intoxicação alimentar ultrapassava os 20 cerca das 16:40, disse à Lusa fonte do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).
 
As crianças foram levadas para os hospitais de São Francisco Xavier (Lisboa), Amadora-Sintra, da Estefânia (Lisboa) e de Santa Maria (Lisboa).
 
Vómitos e dores de cabeça foram os sintomas descritos pelos alunos da escola básica integrada com jardim-de-infância, onde ao almoço foram servidos arroz de ervilha com filetes de peixe com molho, creme de alho francês e fruta.
 
No local estão meios dos bombeiros – incluindo as corporações de Carnaxide e Algés-, o INEM (com duas ambulâncias), a Direção Geral de Saúde, a Autoridade para a Segurança Alimentar e Económica, a PSP, a GNR, a Polícia Municipal e a delegada de saúde.