Família de menina que morreu em incêndio na Amadora vai ser realojada

Família de menina que morreu em incêndio na Amadora vai ser realojada
Sete pessoas desalojadas na sequência do incêndio no Bairro do Zambujal, que provocou a morte de uma menina de 13 anos, vão ser para já realojadas pela Câmara da Amadora, informou fonte da Proteção Civil municipal.
 
Do incêndio resultou a morte de uma rapariga de 13 anos, transportada "em estado crítico" para o Hospital Fernando Fonseca, onde chegou já sem vida, disse à agência Lusa fonte oficial da unidade de Amadora-Sintra. Inicialmente as autoridades deram conta da existência de oito desalojados, incluindo a vítima.
 
De acordo com o Comando Distrital de Operações de Socorro de Lisboa, o incêndio, na freguesia de Alfragide, foi dominado às 04:14, entrando em fase de rescaldo minutos depois. Os trabalhos de socorro foram concluídos pelas 06:00.
 
O incêndio ocorreu no segundo andar de um prédio de cinco pisos e os moradores apenas tiveram de sair enquanto os bombeiros combatiam o sinistro, tendo regressado depois às habitações.
 
As chamas ficaram confinadas ao apartamento onde deflagrou o fogo, provocando pequenos danos no exterior do piso de cima, mas que não impedem a sua ocupação, explicou o comandante da Proteção Civil da Amadora, Luís Carvalho.
 
As causas do incêndio ainda não são conhecidas, mas a mesma fonte da Proteção Civil adiantou que as chamas terão deflagrado no quarto dos pais da vítima mortal.
 
A habitação pertence ao município e, além "de medidas de realojamento temporário" no imediato, os oito desalojados vão ser acompanhados pelo departamento de Habitação da Câmara da Amadora no sentido de serem realojados em definitivo, admitiu a fonte municipal.
 
No local estiveram elementos dos Bombeiros Voluntários da Amadora, PSP, Instituto Nacional de Emergência Médica e Proteção Civil municipal.