Falta de água em Odivelas deixa centenas de crianças sem aulas

Falta de água em Odivelas deixa centenas de crianças sem aulas
Centenas de crianças do pré-escolar da freguesia de Caneças, em Odivelas, ficaram hoje de manhã sem aulas devido à falta de água, uma situação que se tem repetido com frequência, queixou-se à Lusa o diretor do agrupamento.
 
"Esta é a terceira vez que falta a água desde o dia 15 de setembro. Infelizmente, ao longo dos anos, tem sido uma situação recorrente", afirmou à agência Lusa o diretor do agrupamento de escolas de Caneças, Fernando Costa.
 
Hoje de manhã a situação obrigou ao encerramento dos jardins-de-infância da freguesia e a que centenas de crianças tivessem de regressar a casa com os pais.
 
"Por uma questão de higiene, uma vez que as casas de banho não funcionam, decidimos que, pelo menos, durante o período da manhã as crianças não tivessem aulas. Vamos ver se durante a tarde a água regressa", explicou.
 
Fernando Costa referiu que nestas situações o agrupamento faz "sempre um grande esforço para tentar manter as escolas a funcionar" e que só "em último caso" é que pede aos pais para levar os filhos.
 
"Eu próprio já me desloquei ao supermercado mais próximo para comprar garrafões de água. É uma situação lamentável. Estou já a preparar mais uma queixa para os SIMAR" (Serviços Intermunicipalizados de Água e Resíduos), contou.
 
Contactado pela Lusa, o presidente da Câmara de Odivelas e administrador dos SIMAR, Hugo Martins, lamentou a situação e assegurou que a autarquia já está a tentar solucionar os problemas de falta de água.
 
"Estamos a falar de uma rede com mais de 40 anos. Neste momento os SIMAR está a levar a cabo um conjunto de obras que irão minimizar esta situação", apontou.
 
O autarca referiu que está a ser construído um reservatório de água (370 mil euros) e que brevemente será lançado um procedimento concursal para a construção de uma conduta elevatória (630 mil euros), assim como a substituição das condutas existentes (400 mil euros).
 
"Quero acreditar que para o ano a situação possa estar regularizada. Neste momento quero lamentar e pedir desculpa pelos incómodos causados", afirmou.
 
Os SIMAR foram criados em 2014 e servem cerca de 350 mil pessoas nos concelhos de Loures e de Odivelas.