Fadista Cuca Roseta apresenta novo álbum no Teatro S. Luiz, em Lisboa

Fadista Cuca Roseta apresenta novo álbum no Teatro S. Luiz, em Lisboa

A fadista Cuca Roseta que, na quarta-feira, sobe ao palco do Teatro S. Luiz, em Lisboa, para apresentar o novo álbum, “Raiz”, afirmou à Lusa que “o fado é a procura da verdade”, refletindo, este disco, essa busca.
Na quarta-feira, às 21:00, no palco do S. Luiz, Cuca Roseta é acompanhada por Bernardo Couto, Luis Guerreiro e Pedro Viana, em guitarra portuguesa, Pedro Pinhal, em viola, e Frederico Gato, no contrabaixo.
“Raiz”, editado pela Universal Music, é constituído por 14 temas, maioritariamente de autoria - letra e música - de Cuca Roseta, um processo que “surgiu de forma natural”, afirmou a cantora à Lusa.
Cuca Roseta, que já fez parte da banda Toranja e experimentou a publicidade, afirmou que o fado é a sua “paixão”, um género que “não é superficial, é muito profundo, e não é para mostrar voz”.
“O fado – afirmou – é a voz da alma, exige silêncio para se ouvir, porque é reflexivo”.
Sobre o álbum “Raiz”, a intérprete disse que “queria falar do fado": "Queria falar do que sinto e de como me expresso no fado, o que ele representa para mim, que é tudo; queria falar de Lisboa e de Amália, é claro”.
“Estudo muito o fado, vou muito aos antigos [fadistas], aprofundo o que faço”, disse.
O CD, produzido por Mário Barreiros, abre com “Fado do Cansaço”, e inclui ainda o “Fado da Essência”, o “Fado do Contra”, “Fado do Abraço”, “Fado Proibido” e o “Fado do Perdão”, entre outros, como a “Marcha da Esperança”, uma homenagem à fadista Amália Rodrigues, falecida em outubro de 1999.
Além de Cuca Roseta, os dois outros autores escolhidos são o “chef” José Avillez, de uma letra para a qual Tozé Brito compôs a música, e Florbela Espanca, poetisa que a fadista considera “imprescindível” nos seus discos e da quem escolheu o “Fado da Vaidade”, que musicou.
“O tema da Florbela é como olhar-me ao espelho, pois é um atrevimento escrever, compor e lançar um álbum e, no poema, ela afirma que é a poetisa eleita, aquela que diz tudo e tudo sabe, até que acorda do sonho e nas suas palavras afirma: ‘não sou nada’”, disse a intérprete.
Na área da composição, além de Cuca Roseta os outros dois músicos são André Sardet e Pedro Lima.
“Cada um dos temas conta uma história de vida que se passou comigo, e as outras pessoas acabam por se encontrarem também nelas e partilhá-las”, sustentou.
No dia 11 de julho, a fadista apresenta o CD na Casa da Música, no Porto.