Factura virtual vai ser alargada a mais hospitais

Factura virtual vai ser alargada a mais hospitais

O ministro da Saúde anunciou hoje que factura virtual, que informa os utentes da despesa do Estado com o seu atendimento, será alargada a mais nove hospitais até ao final do ano.
Paulo Macedo, que disse preferir o termo “nota informativa” a “factura virtual”, falava durante uma audição na Comissão Parlamentar de Saúde, durante a qual anunciou o alargamento desta experiência piloto, para já em curso em Aveiro e no Centro Hospitalar de Lisboa Central (CHLC).
Na factura virtual constam os valores médios de cada serviço ou meio complementar de diagnóstico e não os custos com um doente em concreto.
Até ao final do ano irão receber esta “nota informativa” os utentes dos hospitais de Trás-os-Montes, Tondela, Viseu, Faro, Gaia, Évora, Universitários de Coimbra, Garcia de Orta (Almada) e São João (Porto), disse o ministro.
No passado mês de agosto, a Administração Central dos Sistemas de Saúde (ACSS) tinha anunciado que até ao final do ano mais de 80% dos hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS) iriam entregar aos utentes das urgências e das consultas externas uma factura virtual com os custos dos cuidados prestados.
Na altura, a ACSS explicou que seriam abrangidos cerca de 80% dos hospitais do Serviço Nacional de Saúde, aqueles que têm em comum um mesmo sistema informático.