Exposições sobre Portugal na Grande Guerra patentes na Amadora

Exposições sobre Portugal na Grande Guerra patentes na Amadora
A exposição "Artistas Portugueses na Grande Guerra" vai estar patente até 11 de novembro nos Paços do Concelho da Câmara Municipal da Amadora, comissariada por Osvaldo Macedo de Sousa e produzida pela autarquia.
 
Esta exposição - com desenhos, pinturas, fotografias e postais - surge no âmbito da exposição "Portugal e a Grande Guerra", patente na Academia Militar da Amadora.
 
Trata-se de uma exposição com trabalhos de sete artistas militares: José Rodrigues Brusco Júnior, J.J. Ramos, João Menezes Ferreira, Arnaldo Garcêz, Adriano Sousa Lopes, Christiano Cruz e António Balha e Melo.
 
Tendo como ponto de partida África, com Brusco Júnior, J.J. Ramos e João Menezes Ferreira, a exposição passa depois para a frente europeia onde todos os artistas estiveram.
 
"Do traço anedótico ao naturalista, encontramos também ousadias modernistas sendo contudo, o mais importante, a imagem da guerra nesta visão que só a arte nos pode dar”, sustenta o comissário num texto sobre a exposição.
 
A mostra pode ser visitada de segunda-feira a sexta-feira, das 09:00 às 17:00, e aos fins de semana das 15:00 às 19:00, com entrada livre.
 
Na Academia Militar da Amadora, está patente uma nova e mais extensa apresentação da exposição "Portugal e a Grande Guerra", realizada pela Assembleia da República com uma equipa de investigadores do Instituto de História Contemporânea da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (IHC) - coordenação científica de Maria Fernanda Rollo - e que contou ainda com a participação da Direção de História e Cultura Militar (Museus Militares de Lisboa e Elvas), da Guarda Nacional Republicana, da Liga dos Combatentes, da Cruz Vermelha Portuguesa e do Ministério dos Negócios Estrangeiros e o apoio da Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema e da RTP.
Esta mostra que assinala o centenário da Grande Guerra de 1914-1918 tem, como objetivo central, aprofundar o conhecimento sobre este período da história de Portugal através de três núcleos expositivos distintos. O primeiro, sobre o conhecimento do conflito e da participação portuguesa, integra a exposição produzida pela Assembleia da República com a chancela científica do IHC, o segundo destaca não só o papel desempenhado pelos pilotos formados na Flandres que fizeram da Amadora o berço da aviação portuguesa como apresenta a Escola de Guerra - Academia de formação de Oficiais do Exército Português entre 1911 e 1919 - e o terceiro aborda a dureza das condições de vida dos soldados na I Guerra através da reconstituição de uma trincheira, real e com percurso visitável.
 
Esta exposição tem ainda a particularidade de acontecer na Academia Militar, local que abre agora as suas portas ao público em geral e às escolas em particular.
 
Entrada livre.
 
Horário: 2.ª a 6.ª, das 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00 / fim de semana, das 14h00 às 19h00
 
De 5 de outubro a 11 de novembro
Academia Militar da Amadora
Av. Conde Castro Guimarães, Reboleira, Amadora