Ex-dirigentes e árbitro absolvidos no caso Machico-Atlético da Malveira

Ex-dirigentes e árbitro absolvidos no caso Machico-Atlético da Malveira

Os ex-dirigentes desportivos António Henriques e António Azevedo Duarte e o árbitro de futebol Luís Lameira foram hoje absolvidos no processo relacionado com a prática de corrupção desportiva, relativo ao jogo entre Machico e Malveira.

Em causa, estava a partida disputada em abril de 2004, entre aquelas duas equipas, a contar para a Série E da então III Divisão, que teve como resultado final um empate a um golo.

A acusação deduzida pelo Ministério Público indiciava o ex-vice-presidente do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol, António Henriques, de ter tentado beneficiar a equipa madeirense.

O ex-dirigente, que chegou a ser detido no âmbito do "Apito Dourado", teria movido influências para beneficiar o Machico, tendo contactado para o efeito o árbitro de Beja Luís Lameira, que se terá mostrado recetivo, pedindo como contrapartida uma subida à segunda categoria nacional.

Assim, António Henriques terá entrado em contacto com Azevedo Duarte que era responsável na altura pelas nomeações dos árbitros, para nomear Luís Lameira para o encontro entre a Associação Desportiva de Machico e a formação do concelho de Mafra, Atlético Clube da Malveira.

Aliás, em sede de julgamento, árbitro António Pardal que foi um dos membros da equipa de Luís Lameira nesse jogo, reconheceu o contacto de António Henriques com Luís Lameira, mas considerou que a arbitragem nesse jogo foi normal, sem benefícios para qualquer uma das equipas.

Contudo, pelos indícios e factos recolhidos e analisados, nada indicou a existência de um crime de corrupção ativa desportiva, sendo os arguidos absolvidos.