Estrada Nacional 2 vai ser nova rota turística que atravessa o país

Estrada Nacional 2 vai ser nova rota turística que atravessa o país
A Estrada Nacional 2 (EN2) vai ser o palco de uma nova rota turística que está a ser impulsionada pelos municípios atravessados pela via mais extensa do país, que liga Chaves a Faro ao longo de 738,5 quilómetros.
 
A iniciativa está a ser liderada pela Câmara de Santa Marta de Penaguião, distrito de Vila Real, onde, no sábado, se assina um protocolo com vista à criação da Associação de Municípios da Rota da EN2.
 
"Será o primeiro projeto do género a nível nacional e que atravessa todo o país. É inédito, pioneiro e tem um valor socioeconómico muito grande", afirmou hoje à agência Lusa o presidente da autarquia duriense, Luís Machado.
 
O autarca referiu que a EN2 é a "terceira estrada mais extensa do mundo", a seguir à rota 66 dos Estados Unidos da América (EUA) e à rota 40 da Argentina.
 
De Trás-os-Montes ao Algarve, a Nacional 2 atravessa 36 municípios, passa pelo interior das povoações e liga paisagens tão diferentes como as vinhas do Douro, as planícies do Alentejo ou as praias do sul do país.
 
É este potencial paisagístico e patrimonial que se quer aproveitar. Luís Machado explicou que o objetivo é "avançar com um projeto de dinamização desta estrada histórica" que vai guiar os visitantes por uma viagem pelo país.
 
"A ideia é que as pessoas que façam esta rota tenham o mesmo tipo de acolhimento em todos os municípios por onde passem, tenham acesso a informações sobre alojamentos, restauração ou os produtos locais de qualquer um destes territórios", salientou.
 
O autarca explicou que, por exemplo, alguém que esteja em Santa Marta de Penaguião pode ter acesso a informações de outros pontos do país e marcar alojamento ou restaurante em qualquer outro concelho da EN2.
 
"Queremos evoluir para que os preços sejam uniformes, que sejam idênticos, e vamos criar um passaporte com o carimbo municipal para os turistas marcaram os locais por onde passaram", frisou.
 
O presidente afirmou que a Rota da EN2 quer "ajudar a criar riqueza em cada concelho e divulgar o património e a paisagem".
 
"É um projeto único, transregional e tem um potencial de crescimento muito grande", salientou.
 
Luís Machado referiu que a rota vai envolver as cinco comissões de coordenação e desenvolvimento regional do país e a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), em Vila Real, que já se disponibilizou para ser parceira no projeto.
 
Em cima da mesa está a possibilidade de se efetuarem candidaturas a fundos comunitários para se consolidar a Rota da EN2.