Especialistas europeus analisam restauro dos carrilhões de Mafra

Especialistas europeus analisam restauro dos carrilhões de Mafra
Especialistas europeus estão esta semana em Mafra, para definirem o financiamento e intervenção de restauro dos carrilhões, que constituem um dos sete monumentos mais ameaçados da Europa.
 
A comitiva, composta por peritos da principal organização europeia do património, a Europa Nostra, e do Banco Europeu de Investimento, vão estar em Portugal até quinta-feira.
 
De acordo com o Palácio Nacional de Mafra, o programa prevê reuniões com entidades locais e nacionais, como o secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, com técnicos da Direção Geral do Património Cultural e com outros especialistas portugueses.
 
"O principal objetivo da visita técnica é recolher informações detalhadas que servirão de base para a preparação de um relatório técnico e financeiro que deverá ser apresentado até ao final deste ano", adiantou a Secretaria de Estado da Cultura, em comunicado, no final da semana passada.
 
Desde maio que os carrilhões e sinos do Palácio Nacional de Mafra figuram entre os sete monumentos mais ameaçados da Europa, uma atribuição da Europa Nostra que veio alertar para a urgência das obras e mobilizar entidades públicas e privadas a nível nacional e internacional, para se encontrar o financiamento necessário para uma rápida intervenção.
 
Além do Banco Europeu de Investimento, também o World Monumento Fund, uma organização internacional que se dedica a canalizar financiamento para monumentos em risco, pode vir a juntar-se aos financiadores.
 
Os dois carrilhões e 119 sinos, pesando, o maior, 12 toneladas, constituem o maior conjunto sineiro do mundo, sendo, a par dos seis órgãos históricos e da biblioteca, o património mais importante do palácio.
 
Apesar da importância patrimonial, alguns sinos encontram-se presos por andaimes para não cair.
 
Em 2013, o palácio somou 244 mil visitantes.