Escola de Hotelaria de Colares com grande procura

Escola de Hotelaria de Colares com grande procura

A EPAV – Escola de Hotelaria de Colares regista um número de inscrições para o próximo ano lectivo superior ao ano passado por esta altura, tendo o curso de Cozinha e Pastelaria já esgotado e os restantes com taxas de 80 a 90 por cento de inscrições.

Considerada uma alternativa válida para quem quer seguir a via profissional da Restauração e da Hotelaria, a escola tem uma taxa de empregabilidade de 90 por cento.

Situada em Colares, a Escola Profissional Alda Brandão de Vasconcelos - Escola de Hotelaria de Colares considera o aluno o centro de todo o processo educativo e o fim último do ensino, através de um acompanhamento permanente e de estímulos à auto-aprendizagem de forma a desenvolver o espírito de iniciativa, a autonomia, o pensamento crítico, a capacidade de se socializar e de expressar as suas ideias.

Esta é uma escola com frequência gratuita, sendo esta financiada pelo Ministério da Educação, onde se formam alunos nas áreas de Cozinha e Pastelaria, Restaurante-Bar, Turismo Ambiental e Rural, Protecção Civil e, mais recentemente na área de Moda, Vitrinismo e Comércio.

Solicitada pelas grandes unidades hoteleiras e restaurantes da área da Grande Lisboa, nomeadamente Sintra, Cascais e Lisboa Cidade. Como o Hotel do Guincho, Quinta da Marinha, Tivoli Palácio de Seteias e Altis Park, entre outros.

Recentemente, abriu uma nova estrutura – O Sarrazola House – uma unidade hoteleira com 22 quartos e um Restaurante/Bar aberto em permanência onde os alunos têm uma participação cada vez mais ativa e enriquecedora.

A escola está, ainda, a aceitar matriculas para o Curso Profissional de Técnico de Restaurante-Bar, um curso com uma vertente bastante prática onde os alunos aplicam os seus conhecimentos – no restaurante de aplicação - durante o tempo de formação.

Também se pode inscrever no Curso Profissional de Técnico de Protecção Civil, onde os alunos poderão beneficiar de aulas práticas (a decorrer nas instalações da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Almoçageme), no âmbito do socorrismo, salvamento, comunicações e logística no teatro de operações e combate a incêndios, no seguimento de um protocolo celebrado entre as duas entidades; bem como para o Curso Vocacional de Moda Vitrinismo e Comércio que dá equivalência ao 9ºano de escolaridade, onde os alunos poderão desenvolver as suas competências numa área cada vez mais importante no contexto nacional permitindo a construção de um tecido empresarial constituído por jovens empreendedores.

Uma escola que se caracteriza como uma alternativa de educação e que viabiliza a todos os alunos maiores de 18 anos a possibilidade de alojamento na sua Residencial de Estudantes.