Escaldões na praia podem resultar em cancro de pele

Escaldões na praia podem resultar em cancro de pele

A maioria dos dez mil novos casos de cancro de pele diagnosticados por ano têm origem em escaldões ocorridos há uma década ou mais, disse hoje à Lusa o secretário-geral da Associação Portuguesa de Cancro Cutâneo (APCC).

De acordo com as previsões da associação, durante este ano deverão surgir perto de mil casos de melanoma, tipo de cancro com alta taxa de mortalidade se não for diagnosticado e tratado precocemente.

O secretário-geral da APCC, Osvaldo Correia, admite que muitos dos casos agora diagnosticados “reflectem muitos comportamentos que as pessoas tiveram nos cinco, dez, 15, 20 anos anteriores”, e que os cuidados que a população tem actualmente só serão reconhecidos mais tarde.

Os inquéritos realizados anualmente durante as acções de sensibilização em praias portuguesas fazem este especialista acreditar numa redução de casos no futuro.

“Há, de facto, que premiar a população portuguesa, porque tem havido alterações positivas de comportamentos”, disse à Lusa o secretário-geral da APCC, Osvaldo Correia, acrescentando que os comportamentos mais perigosos se registam nos adolescentes.

Entre os alertas que a APCC pretende deixar à população, está a necessidade de evitar a exposição solar intencional nas chamadas horas vermelhas, ou seja, das 12:00 às 16:00, e a importância da protecção contra os raios ultra-violeta.

“Importa valorizar a temperatura, mas também o índice de Ultra-violetas (UV) que é possível consultar no site do Instituto de Meteorologia”, explicou Osvaldo Correia, salientando que um nível elevado de radiação UV pode originar queimaduras, mesmo em dias frescos ou enevoados.

A exposição progressiva da pele ao sol, o uso adequado de roupa e chapéu e dos protectores solares são outras recomendações dadas por especialistas, que serão divulgadas em acções de sensibilização, que vão ocorrer em vários pontos do país, a APCC está a disponibilizar informações sobre os cuidados a ter com a exposição solar, as regras básicas para o auto-exame e exemplos de sinais sugestivos de cancros da pele no site www.apcc.online.pt.