Empresários de diversão invadem Lisboa com manifestações até ao final do mês

Empresários de diversão invadem Lisboa com manifestações até ao final do mês

 

A Associação Portuguesa de Empresas de Diversão (APED) convocou, a partir de terça-feira e até ao final do mês, manifestações e desfiles, todos os dias, em vários locais de Lisboa, pela sustentabilidade do setor.
“Vai ser desde dia 08 até dia 31, até indeterminadamente depois do dia 31, até que consigamos resolver a sustentabilidade do setor. São manifestações todos os dias, são desfiles todos os dias, após as 19:30, nos dias úteis, e durante o fim de semana a partir das 12:30”, disse hoje à Lusa o presidente da APED, Luís Paulo Fernandes.
As manifestações irão realizar-se em frente a locais como o Ministério das Finanças, o Ministério da Economia, a EDP Comercial, a Assembleia da República e a sede da Entidade Reguladora de Energia.
Segundo o presidente da APED, estas são algumas “entidades que não deram resposta às propostas e outras limitaram-se a não responder”.
Além dos associados, Luís Paulo Fernandes lançou também “o repto a todas as associações e federações de mercados e feiras, que fazem prestações de serviços itinerantes” a se juntarem aos protestos.
“Estamos a ter uma grande receção de todos os feirantes a nível do país, não só de carrosséis, mas de venda a retalho, de venda de roupa, de louças, que têm todos de pagar o IVA a 23%, quando os lucros mal davam para comer”, referiu.
A taxa do IVA das atividades de diversão passou de 6% para 23% no início de 2012, aumento que, de acordo com a APED, está a empurrar para a falência 300 microempresas familiares do setor.
O presidente da APED considerou que com este aumento “Portugal vai ficar sem os pequenos empresários e muita família vai para o desemprego”. 
“Aí não é uma fábrica, são muitas fábricas, muitas casas comerciais, são muitos feirantes. Já não falo em 800 carrosséis, em quatro ou cinco mil roulotes, falo também nos feirantes, porque estou a receber muito apoio de feirantes de Norte a Sul”, disse.