É carro de presidente, mas gasta pouco

É carro de presidente, mas gasta pouco

Citroën DS5 2.0 HDi Hybrid4: uma limusina amiga do ambiente.

François Hollande escolheu o novo Citroën DS5 para sua viatura oficial. Para além da aposta num produto genuinamente francês, a opção do recém-eleito Presidente de França também tem muito a ver com a classe e o carácter escultural deste modelo. Assente na plataforma do C5, revela uma arquitectura futurista, considerada mesmo como "expressão do luxo à francesa" ou como "um produto de alta costura".
O desenho expressivo e o requinte estendem-se de fora para o habitáculo. Aqui, o posto de condução envolvente e os comandos no tecto, o desenho e o conforto dos bancos, bem como a proliferação de materiais de qualidade, exemplificam o melhor do luxo gaulês.
Ao nível da tecnologia não faltam atributos, como o controlo de tracção inteligente, a segunda geração do sistema de alerta de saída da faixa de rodagem, comutação automática dos faróis em função do tráfego, transmissão de informações a cores no pára-brisas ou a câmara traseira para estacionamento.
Disponível com várias motorizações e níveis de equipamento, este é o primeiro modelo da marca a adoptar a tecnologia diesel ‘full-hybrid’ Hybrid4, oferecendo em simultâneo elevadas performances (200 cv e tracção integral), e a possibilidade de rodar apenas com recurso ao propulsor eléctrico (37 cv), durante três quilómetros e a uma velocidade máxima de 70 km/hora.
De resto, num percurso de 60 km, conseguimos circular em modo totalmente eléctrico durante 26 km, tirando partido do recarregamento das baterias através do aproveitamento da energia cinética das travagens e desacelerações. Nos restantes, o propulsor diesel de 163 cv (na tracção dianteira) também recebe a ajuda do motor eléctrico (tracção traseira), permitindo que o resultado final em termos de consumos se situe numa média inferior a 5,0 l/100 km.
Através de um comutador podemos escolher entre quatro modos de funcionamento do sistema: Auto; Sport; ZEV (100% eléctrico) e 4WD.
Sim, o DS5 2.0 Hybrid4 distingue-se por oferecer tracção integral, quando os dois motores funcionam em paralelo, sendo que esgotada a capacidade das baterias, o motor eléctrico que alimenta o eixo traseiro continua a gerar potência com recurso a um poderoso alternador (11 cv de potência e 150 Nm de binário). Aqui convém dizer que o objectivo não é fazer TT, mas possibilitar estabilidade e segurança em situações de chuva, neve, gelo ou lama.
A condução deste modelo é bastante agradável e até as deficiências frequentemente relatadas sobre a caixa robotizada de seis velocidades CMP6 são atenuadas. Depois, dá um gozo tremendo andar literalmente à borla em percursos planos ou com descidas, tal como fizemos entre Sintra e a Praia das Maçãs.
Quando é preciso acelerar, podemos optar pelo modo Sport, com uma aceleração viva e poderosa.
Em cidade, o melhor é escolher a função Auto, levantar um pouco o pé e beneficiar da economia que o sistema híbrido Diesel da PSA nos possibilita.
Quanto a preços, situam-se na casa dos 46 mil euros.
Paulo Parracho

Citroën DS5 2.0 HDi Hybrid4