Dulce e Damião renovam no Nacional de crosse, Benfica surpreende em masculinos

Dulce e Damião renovam no Nacional de crosse, Benfica surpreende em masculinos
Dulce Félix e Manuel Damião revalidaram hoje, como se esperava, o título de campeões nacionais de corta-mato, em A-dos-Cunhados, numa jornada em que a grande surpresa foi o regresso do Benfica ao título coletivo de masculinos.
Mais cedo do que os "encarnados" esperavam, aí está o título de seniores masculinos, passados 23 anos desde a última vez que o troféu foi para as vitrines da Luz. O próximo passo é a Taça dos Campeões Europeus, em que a ideia é "chegar ao pódio", garante Ana Oliveira, coordenadora da modalidade no Benfica.
O equilíbrio entre o Maratona e o Benfica era esperado, mas tudo se alterou a partir do momento em que se soube que pelos "laranjas" o ex-campeão nacional Yussuf El Kalai alinhava diminuído por uma infeção urinária.
Viria a desistir, deixando o clube apenas com três seniores na frente (Damião, José Rocha e Fernando Silva) e a fechar a equipa em 36.º, com o primeiro dos seus sub-23, Luís Fernandes.
Quanto ao Benfica, mesmo sem Rui Pedro Silva, colocava cinco atletas no top-10, destacando-se Alberto Paulo, em segundo, e Tiago Costa, em quarto.
Cheio de força, Manuel Damião "fugiu" cedo à concorrência, para um triunfo fácil, com oito segundos de avanço sobre o especialista de 3.000 metros obstáculos do Benfica.
"É um circuito mesmo muito difícil", disse no final, aludindo às zonas de lama da pista dos Jardins do Alcabrichel, em A-dos-Cunhados. "Gosto de ver o crosse assim, mas fazê-lo, propriamente dito, não gosto. Gosto de rodar, de andar rápido, de piso duro. Estes pisos a mim custam-me bastante".
Ainda assim, a diferença para a concorrência é notória, reconhece: "Felizmente estou a atravessar um bom momento de forma e há uma diferença, que me permite gerir as coisas de uma forma mais confiada. Conseguir vencer não é fácil, os meus colegas também são atletas fortes e trabalham para ganhar. Espero que para o ano, se deus quiser, consiga revalidar de novo o título".
Na corrida feminina, as "jóias" do Maratona, Dulce Félix e Sara Moreira - a correr pela primeira vez desde que é campeã da Europa de 3.000 metros - cedo se isolaram das restantes. Atrás dela, a luta era intensa pela classificação coletiva, com o Sporting a dar luta às crónicas campeãs dos últimos anos.
O Maratona, mesmo com Anália Rosa e Daniela Cunha "tocadas", geriu as diferenças para as "leoas" e fechou a ganhar por 17-20, a margem mais "apertada" da última década.
Clarisse Cruz, do Sporting, fechou o pódio e garante assim o posto de "chefe de fila" para os Mundiais da Polónia, já que tanto Dulce Félix como Sara Moreira vão ser dispensadas. 
"O quarto título consecutivo era o meu objetivo, estou de parabéns e a equipa também. Viva o Maratona Clube de Portugal!", exultava Dulce Félix, pela vitória mais contestada desde que corre pelo clube.
Dulce Félix destacou a "maior competitividade" da jornada: "Costumamos logo à partida ir para a prova e saber que somos nós que ganhamos por equipas, mas este ano a adrnalina foi maior porque não sabíamos quem ia ganhar. Mas nunca perdemos a esperança e assim dá mais luta".
A atleta garantiu que "abdicou dos Mundiais" para estar na "Meia" de Lisboa, a fazer o que classificou como um "semiteste" para a Maratona de Boston. Em 2013, a prioridade vai continuar a ser as maratonas.
Quem também deverá ter "falta" nos Mundiais é Sara Moreira, que corre no próximo fim de semana a meia-maratona de Nova Iorque. "Já estou confirmada e vou. Se o selecionador entender ainda assim, que devo ir ao Mundial, irei. Se não, vou à meia de Lisboa".
Sobre o dia de hoje, admitiu que gostaria de ter ganho e que um dia ainda espera chegar ao título: "Estou muito feliz, não vou esconder que gostava de ter ganho aqui. É o meu oitavo segundo lugar, se calhar só vou ganhar ao décimo... Vou continuar a trabalhar e um dia este título há-de ser meu".
"Sabíamos de antemão que não ia ser fácil e que o Sporting tem uma equipa muito forte. Este título é o que meu soube melhor, desde que estou no Maratona. Quando há concorrência, é mais saboroso", disse ainda.
As seleções nacionais para os Mundiais de crosse da Polónia serão divulgadas na segunda-feira, depois de serem avaliados os vários pedidos de dispensa de atletas seleccionáveis, nomeadamente os do Maratona, interessados em competir na "Meia" organizada pelo clube.