Curta 'Onde foi a Minha Sorte' de Pedro Gonçalves vence festival Córtex

Curta 'Onde foi a Minha Sorte' de Pedro Gonçalves vence festival Córtex
O filme 'Onde foi a Minha Sorte', de Pedro Gonçalves, é o vencedor da edição de 2017 do Córtex -- Festival de Curtas-Metragens de Sintra na categoria de Competição Nacional, anunciou hoje a organização.
 
"Começar a fazer filmes tem a ver com viver medos e aprender a ser certeiro, mesmo quando não se sabe nada do que aí vem. Este filme é isso: a força do começo. A criança, a ferida escondida, a energia no chuto bola. Esta força do começo traz-nos a nós a alegria de descobrir imaginações jovens que têm a seriedade de assumir que querem filmar", afirma o júri desta edição do Festival, citado pelo comunicado da organização, a propósito da curta vencedora.
 
Na competição internacional a curta vencedora foi a alemã 'Nach dem Spiel' (After Play), de Aline Chukwuedo, que o júri considerou ser "um filme de grande simplicidade e inteligência na apropriação de recursos surpreendentes".
 
O júri atribuiu ainda uma menção honrosa ao filme sul-coreano 'The Chicken of Wuzuh', de Sungbin Byun.
 
A edição deste ano teve também um prémio atribuído pelo público, que distinguiu o filme português 'Campo de Víbora', de Cristèle Alves Meira.
 
Na seção dirigida ao público infantil -- Mini Córtex -- o júri premiou a curta de animação norte-americana 'True Colors' da realizadora Nicole Morconiec.
 
O Córtex -- Festival de Curtas-Metragens de Sintra encerrou hoje, no Centro Olga Cadaval, em Sintra, com o anúncio dos vencedores, selecionados entre os 32 filmes a concurso, numa cerimónia com início agendado para as 18:00.
 
Para a competição nacional foram selecionadas 16 curtas, de nomes como Salomé Lamas, Leonor Teles e Simão Cayatte, e outras 16 para a competição internacional, tendo a organização recebido este ano "um número recorde de inscrições".
 
Entre os 16 filmes da competição nacional destacam-se obras já exibidas - e algumas premiadas - em festivais internacionais, como 'Balada de um batráquio', de Leonor Teles, 'Ascensão', de Pedro Peralta, e 'Pedro', de André Santos e Marco Leão.
 
A competição internacional tem filmes provenientes do Irão, Polónia, Alemanha, França, Suíça, Canadá, Irlanda, Grécia, Bélgica, Coreia do Sul, Rússia e Estados Unidos.
 
Os vencedores foram selecionados por um júri composto pelas atrizes Leonor Silveira e Anabela Moreira, pela diretora do DocLisboa, Cíntia Gil, pela realizadora Cláudia Varejão e pelo diretor de fotografia Vasco Viana.
 
Na secção Mini-Córtex, em parceria com o MONSTRA -- Festival de Animação de Lisboa, houve 10 curtas a concurso, "sujeitas à votação do público mais novo".
 
O festival teve início na passada quinta-feira e contou com a exibição das primeiras curtas-metragens da realizadora neozelandesa Jane Campion, anteriores ao sucesso da cineasta que dirigiu "Um anjo à minha mesa" (1990), sobre a escritora Jane Frame, e 'O piano', em 1993.
 
Este ano a secção Hemisfério do festival foi programada pelo London Short Film Festival.