Credores do Estrela da Amadora aceitam uma proposta de aquisição do estádio

Credores do Estrela da Amadora aceitam uma proposta de aquisição do estádio

A comissão de credores do Estrela da Amadora aceitou uma proposta de aquisição das instalações do clube, entre as quais o Estádio José Gomes e o edifício do bingo, disse hoje à agência Lusa o administrador de insolvência.
Paulo Sá Cardoso revelou que, depois de avaliadas "algumas propostas", foi decidido a venda do estádio, do campo de treinos e do edifício do bingo por "um valor superior" à base de licitação, no montante de 3,5 milhões de euros.
Os pormenores do negócio e a identidade do comprador apenas serão divulgados após despacho judicial de adjudicação.
As instalações do Estrela da Amadora foram colocadas à venda pela primeira vez em maio de 2011, mas não surgiu qualquer interessado na aquisição dos imóveis, então com uma base de licitação global de 6,9 milhões de euros, praticamente o dobro do valor agora estabelecido como mínimo.
O Plano Diretor Municipal (PDM) da Amadora impõe que as instalações terão de manter o cariz de área desportiva.
A sala de bingo está onerada em contrato de cessão de exploração, que termina a 01 de novembro de 2014, e a concessionária paga seis mil euros e dez por cento do lucro líquido mensal, após o pagamento de impostos.
Com dívidas de perto de 20 milhões de euros, nomeadamente ao Fisco e à Segurança Social, o Estrela da Amadora pediu insolvência, depois de ter sido impedido de inscrever-se na Liga portuguesa de futebol na temporada de 2009/2010, alegando o clube impossibilidade de cumprir pontualmente com as suas obrigações, uma vez que não detinha meios próprios ou de crédito.
Por não cumprir os requisitos estabelecidos pela Federação Portuguesa de Futebol no processo de inscrição nas provas de seniores, o Estrela da Amadora, 10.º na II Divisão nacional na época de 2009/10, apenas competiu na época de 2010/11 nos escalões jovens, pela primeira vez desde que foi fundado, em 1932.