Corpo de jovem pescador da Fonte da Telha resgatado do mar esta terça-feira

Corpo de jovem pescador da Fonte da Telha resgatado do mar esta terça-feira

O pescador desaparecido a 23 de agosto no mar na zona da Fonte da Telha, no concelho de Almada, foi encontrado hoje, terça-feira, na praia da Bela Vista, referiu fonte da Polícia Marítima de Lisboa.

Segundo a mesma fonte, receberam o alerta cerca das 07h50, indicando que o corpo de um jovem tinha sido encontrado preso numa rede de pesca de xávega. Este acrescentava tratar-se do corpo do pescador português, de 18 anos, o único de uma tripulação de cinco homens que não se salvou no naufrágio do Yuri que pescava na noite daquela sexta-feira, na Fonte da Telha.

Outra fonte da Polícia Marítima de Lisboa disse à Lusa que o corpo encontrado na manhã de hoje, será, “supostamente, o do pescador desaparecido, uma vez que foi encontrado a menos de uma milha do local onde desaparecera”. O corpo foi recolhido para terra por elementos do posto da Costa de Caparica da Polícia Marítima e transportado para a morgue do hospital Garcia de Orta, em Almada.

O acidente aconteceu cerca das 22h20 de 23 agosto, quando o barco de xávega pescava frente à praia da Bela Vista. Refere nota da Marinha que dos cinco pescadores a bordo, dois conseguiram nadar para terra e outros dois foram resgatados por embarcações de xávega que se encontravam a operar no local. A embarcação afundou-se quando se encontrava a cerca de 800 metros da costa.

As causas do naufrágio ainda estarão a ser avaliadas, mas segundo um pescador da Fonte da Telha com cerca de 60 anos de mar, o acidente poderá estar relacionado com o partir um dos cabos da rede de xávega. “Ao puxarem a rede para dentro do barco, este terá metido água e, quando voltava para terra, afundou”, refere.

Apesar do mar estar “bom”, a força da corrente que arrastava para sul, dificultou as buscas do próprio barco que “só foi detectado por causa do cabo e da bóia”, acrescenta.

A Polícia Marítima e pescadores locais procuraram o corpo do jovem logo a seguir ao naufrágio, sendo as buscas reforçadas com a ajuda de um helicóptero. Cerca de uma semana depois do naufrágio as buscas por mar pararam, passando a ser feitas unicamente por terra. “É provável que o corpo leve mais de uma semana a aparecer”, previa o pescador da Fonte da Telha ao Jornal da Região.

A memória dos homens do mar da Fonte da Telha relembra que o último acidente na xávega, naquela zona, remonta há 25 anos atrás e levou a vida de dois pescadores.